31 janeiro, 2006

Histórias da tia Alice IV

Ficámos cerca de uma semana em Chateaulin. Corremos toda a região da Cornualha, à beira-mar, de grandes penhascos, horizontes sem fim.
Foi num passeio a uma dessas Pontas (Point de....) que nos aconteceu o impensável...
Saímos de manhã, ainda com algum nevoeiro, característico daquela zona, e dirigimo-nos para a Point de.... Estacionámos o carro no parque, onde já estavam muitos outros e, para não irmos carregadas, deixámos as carteiras no porta-bagagens.
Quando regressámos de olhar para as vistas e nada ver por causa do nevoeiro cerrado, verificámos que a bagageira tinha sido forçada e as carteiras tinham sumido!!!
A tia Alice ficou sem os documentos, eu sem algum dinheiro, documentos e cartão Visa. E o porta-bagagens danificado, pois não fechava...
Dirigimo-nos para a cidade de imediato para telefonar para Portugal a fim de nos cancelarem o cartão. Éramos tão pelintras que só tínhamos uma única conta e apenas um cartão para cada um nessa conta. Ficámos em pânico: que fazer? Regressar a Portugal ou tentar fazer uma vidinha ainda mais apertada de maneira a acabar as férias? Lá decidimos ficar.
Punha-se o problema agora de saber se os malvados ainda teriam tido tempo de utilizar o cartão para fazer compras...Tínhamos o credo na boca!
O nosso passeio continuou e desta vez percorremos a via sacra dos Calvários da Bretanha. No exterior de cada igreja nas pequenas vilas, encontrava-se um calvário em pedra, verdadeira obra de arte, contando a vida de Jesus. A minha tia e eu, com grande devoção, em todas elas acendíamos uma velinha e fazíamos um pedido: que não usassem o nosso cartão Visa!!!


Fizémos ainda mais uma digressão pelas Pontas...Em todas elas, no parque de estacionamento, estavam grandes avisos, chamando a atenção para os turistas se precaverem dos larápios e não deixarem nada à vista no interior dos carros.
Ficámos sempre com algumas dúvidas se não seriam os nossos vizinhos franceses da tenda ao lado...
Daí a algum tempo, quando chegou a conta do Visa verificámos com alívio que o nosso pedido tinha sido generosamente atendido...

11 comentários:

Mae disse...

Um passeio lindo, algo atribulado, felizmente acabou bem.
Um beijo

Girassol disse...

Olá Alice!
Viajar é para mim um prazer...mesmo acontecem alguns incidentes de menor importância!
Beijinho

Quissico disse...

Parabéns! Gosto das memórias da tua vivência!

Era uma vez um Girassol disse...

Olá quissico!
Dá para brincar...Esqueço facilmente as coisas que me chatearam e promovo as que me deram prazer...
Bjs

Anónimo disse...

Sabem bem estas histórias...descontair com humor!!

Parabens!!!! E continua...

Beijinho, EN

Bazuca disse...

minha amiga IMPA- ravel e gavel!
gosto de te ler e de te ouvir tambem, quando o vento sopra para sul. Poder descritivo,criativo e recreativo. Quem me dera ter igual!!

Girassol disse...

vw2es2 - isto foi a Lili que escreveu...Não sei que quer dizer, mas é para ti, Bazuca!
Que saudades! Já falta pouco!
Bjinho

Bitta disse...

O teu livro de viagens é um encanto... as peripécias a parte mais engraçada... aliás são elas que dão movimento às nossas vidas.

És uma óptima contadora de histórias.

Mocho Falante disse...

A Cornualha é de facto um local belissimo, mas sem assaltos de preferência

beijocas

Meia Lua disse...

O que é preciso é ter fé e pedir com vontade...
No meio das coisas más, também coisas boas acontecem!
beijinho

Girassol disse...

Bitta,estou ainda a treinar, esta coisa de contar histórias. Com o tempo espero melhorar!

Mocho falante, gostava de voltar à Bretanha...mas é preciso ter sorte com o tempo!

Meia-lua, obrigada pela visita!
Precisamos de nos desprender um pouco das coisas. Seremos mais felizes se nos chegarmos mais às pessoas...sem esquecer a fé!
Beijinhos para todos