14 janeiro, 2006

Fazer amor


Por pudor, somente por pudor.
Que não a inscrevi na listagem de GOSTO DE..., resultado de um pequeno brain storming, depois colocada por ordem alfabética. Mas ainda vou a tempo, antes de saltar para a ginginha, que gosto muito , mas não tanto!
Não gosto do termo FAZER AMOR, tradução à letra de MAKE LOVE...Será que
nós, portugueses tão criativos e inventivos para tudo, não encontraríamos outro termo para significar algo tão belo? Até porque o Amor não se faz, vive-se, dá-se, recebe-se, troca-se, acontece, sei lá....
Sou da Geração de 60, que além de algumas coisas más como as drogas, trouxe ao mundo inteiro este slogan inesquecível:




Era muito cedo. Sonhava, quando acordei ao som do meu próprio ressonar, resultado de uma leve constipação. ( desculpas...) Perguntei ensonada, desnecessariamente:
- Estava a ressonar?
- Estavas...
- Que horror, porque não me acordaste?
- Parecia a canção das baleias...
O pescador, até na cama, pensa que está em mar alto. Mas tem a noção da realidade: a canção não é a da sereia...
Rimos juntos.
Depois...Ah, depois....


Pena o slogan não ser seguido até ao fim deste nosso mundo!

4 comentários:

A.J.Faria disse...

Olá, Girassol!
Obrigado pelas tuas vistas ao Palavra Entre Palavras.
Espero que doravante elas sejam uma constante.
De facto, esperemos que o Amor, no seu verdadeiro significado, seja efectivamente a mola que possa ir lentamente transformando-nos.
Um beijinho,

paper life disse...

Olá. :)

Já é a segunda tentativa para te dizer: que bonito ler isto nos tempos que correm!

A netcabo não colaborou...

Bjs.

BFS

Girassol disse...

Obrigada, Paper life! Também quero tudo isto para as minhas amigas...Foi isso que pedi ao Pai Natal! Eu acredito!
Bjinho

Bazuca disse...

Olá Girassol,
gosto muito da frase fazer amor, fazer é construção, é algo que se inicia, que leva tempo, que tem várias fases, que chega ao fim...tambem gosto, mas sem paixão não existe.
:)