24 dezembro, 2012

04 outubro, 2012

Museu de Arte Nova em Aveiro

Aveiro é conhecida, para além da sua ria, também por um número significativo de casas de arte nova, muitas delas restauradas, de grande beleza.
Uma das mais emblemáticas é esta, agora Museu de Arte Nova.
A casa é lindissima, distribui-se por 3 andares, funcionando no rés-do-chão uma pequena casa de chá e no terraço, um bar com música. 
Não tem muitas peças, mas a casa é ela própria uma obra de arte.















E os girassóis também lá estão, no gradeamento de ferro forjado.
Escolhi o chá roiboos (vermelho), os bolinhos eram uma delícia.
Um must para Aveiro! 

25 abril, 2012

Ser livre...

Ser livre é um imperativo que não passa pela definição de nenhum estatuto. Não é um dote, é um Dom. Miguel Torga

22 março, 2012

O Farol da Barra....

Hoje reencontrei uma amiga que julgava ter desistido dos blogues...
Fiquei feliz!
Um dia, ao comentar num post meu, escreveu assim:

.....engraçado, morar em Aveiro, ver aqui o que todos os dias admiro, teve um gosto especial, ver o "meu" farol que adoro e que tanta companhia sempre me fez, quando vim de Angola fui morar mesmo para o lado dele, ali relembrei tantos momentos, foi a olhar para ele tantas vezes chorei de saudade, ele e o mar foram e são os meus eternos companheiros, não resisto e deixo-te ficar aqui, para ti o que para ele um dia escrevi:


não sabes ver ou sentir

a quietude silente

sei quem és, onde pertences

sorrio-te,


em dias de luz difusa

ou só de nevoeiro

sorrio-te,

nas noites repetidas

sem astros




reparto contigo solidão

pedaços de alegria

momentos de tristeza ...

paixão


congemino definições

talvez exactas

talvez adversas

talvez por seres

um amigo confidente

talvez pelo brilho

que busco na ausência


tens o mar por companhia,

acodes os aflitos

apontas caminhos

com ciência cativa

entre os teus segredos


e dizer-te mais?

que (já) vives

no meu sorriso.


e estarás comigo,

em lembranças

entre os muros


leito vazante

para uma linha obstinada

entre o tempo e o espaço


sobejas

farol de mim!

e fio de luz

... estendido

até ao amanhecer

... naufragado

entre ilusões

em dias sem sol


e assim mesmo

a ti não hei-de dizer

"adeus"


Helena maltez












Farol e praia da Barra

08 março, 2012

Dia da Mulher!



Para as todas as blogueiras um xi-coração e beijinhos da girassol!

12 fevereiro, 2012

09 fevereiro, 2012

Roubar as cenouras???

Sim, conheço um destes...




04 fevereiro, 2012

Portugal está...

no mesmo sítio e é pertença dos mesmos....




Depois de uma longa ausência por terras do Oriente foram estes os factos com que me deparei à chegada....e suspirei, aliviada!

Disseram-me que trouxe comigo o frio...

Mauzinhos, não acham?
Da banda de lá faz frio, mas, bolas, são mais uns poucos de graus!

Não tenho pois culpa que o santo que rege as temperaturas do planeta, ande numa de brincar aos invernos rigorosos e tenha mandado para este país já empobrecido, nâo o que ele de facto precisaria, ou seja, dinheirinho a rodos, mas sim invernia que faz doer os ossos!

Da viagem apenas sobressairam alguns aspectos que vou passar a relatar em singelos versos...



De Hong Kong a Munique,
A sorte me bafejou,
Em 3 lugares me estendi,
E o avião não atrasou!

Em Munique, um manto branco
De neve me encantou,
Com 4 horas de espera,
O encanto se esfumou!!!!

Finalmente no avião
Directa à nossa Lisboa,
Mas logo veio a surpresa
E não era nada boa…



Olha a mala, olha a mala
Olha a malinha de mão,
Ela é minha, muito minha
E perdeu-se no avião….


A malinha apareceu
Um pombo a veio trazer…
Ai meu rico Santo António,
Como te hei-de agradecer??????


31 janeiro, 2012

Revisitar Macau 4




O adeus a Macau é já amanhã...

E não gosto mesmo nada de despedidas...


(imagem da net)

24 janeiro, 2012

Revisitar Macau 3

A dança do Leão...
É festa!



video


23 janeiro, 2012

Revisitar Macau 2




Ano do Dragão de Água


Começaram hoje os festejos do Novo Ano Chinês!

Estas festas têm muitas tradições e rituais, que passo a resumir.

Dança do Dragão – esta dança que é realizada por mais de 20 pessoas, ajuda a trazer prosperidade, sorte e renovação.
Dança do Leão – o objectivo é semelhante à dança do dragão. No comércio, para que os negócios prosperem, dão ao “ leão” um molho de hortaliças composto por coentros, salsa, aipo, cenoura, cebolinho, que este finge que come e depois devolve. O comerciante tem de guardar o ramo durante 15 dias.
Panchões e fogo de artifício – a queima de fogos, com o seu barulho ensurdecedor, serve para afastar os maus espíritos do ano que começa.
Grande banquete – faz-se uma grande refeição com grande variedade de alimentos, principalmente peixe e muitos doces.
Lai see (laissi)– são pequenos envelopes vermelhos com desenhos vários e dinheiro, que os casados oferecem aos solteiros, geralmente crianças, para trazer generosidade e boa sorte.
Fatos tradicionais – as crianças vestem-se com trajes chineses, vermelhos ou rosa com dourados. Os adultos usam vermelho para dar sorte e felicidade. O vermelho é yang, uma cor vibrante.
Flores e frutos - antes do dia de Ano Novo as famílias chinesas decoram as suas salas de estar com vasos com botões de flores, laranjas e tangerinas e oito variedades de fruta cristalizada, para começar o ano de forma doce. As ruas e jardins são enfeitados com flores e tangerinas, significando estas abundância de felicidade.
Papéis com desejos - colocam-se desejos escritos com tinta preta em tiras de papel vermelho na porta de entrada. O preto representa a água e a sabedoria; e o vermelho, o fogo e o sucesso. Este pedido deve sempre visar o bem, não pode ser egoísta e nunca visar prejudicar alguém. Depois de mentalizar o pedido realizado, o papel é pendurado na janela ou porta, com uma linha ou fita vermelha, para que os ventos possam levar e trazer o pedido.
Outros costumes – nas vésperas do Ano Novo as pessoas limpam e arrumam a casa, deitam fora o que é velho, cortam o cabelo, fecham as contas, colocam oferendas aos Deuses que cuidam da casa, preparam as roupas...


Durante esta época também não se pode discutir ou ter maus pensamentos!

20 janeiro, 2012

Revisitar Macau 1

O Ano Novo Chinês já se celebra há dois milénios : ida aos mercados e templos, enfeite de ruas e casas, festa em família com mesa farta. Assim, todos os anos, no primeiro dia da primeira lua do calendário tradicional, a vida renasce!

A cidade prepara-se para os festejos do Ano Novo Chinês, que no calendário oriental será o ano do Dragão!
Veste-se de vermelho e ouro, símbolo do dinheiro, mostrando uma faceta vibrante de cor e movimento. As ruas estão apinhadas de turistas, irrompendo pelas lojas, carregando sacos de compras, fotografando tudo e todos!


Pois...está na hora de ficar em casa!!!!!












O Leal Senado

Todo ele engalanado,

É o Ano do Dragão,

Já está em preparação......



De vermelho e dourado,

Mostrando a cor do dinheiro,

Macau pede, animado,

Moedas p'ró ano inteiro!!!


Bom Ano Novo Chinês!
Kung Hei Fat Choi !

18 janeiro, 2012

Rumo a Angkor9

Depois das visitas aos templos, resolvemos tirar dois dias para descanso e lazer.
O nosso hotel tinha poucos quartos e ficava no meio duma aldeia perto da cidade. Foi carissimo, dada a época alta e não se ter conseguido nada na cidade de Siem Reap. Mas gostei bastante, visto que o tratamento era personalizado, tudo muito calmo e relax. Era propriedade de um casal, ele francês, ela japonesa, que nos trataram muitissimo bem, com muita atenção e elegância sempre. Proporcionaram-nos refeições tradicionais apresentadas com todo o requinte, marcaram-nos passeios, jantares, enfim, todos os nossos desejos foram atendidos com grande profissionalismo.











Amatao Tropical Residence



Deste modo, o facto de termos ficado em pleno meio rural, permitiu apercebermo-nos das condiçoes de vida e costumes desta população.

Resolvemos então dar um passeio a cavalo pelo campo cambojano. Os mais novos e corajosos montaram nos cavalos, os mais velhos foram numa charrete(???) puxada por um belo cavalo branco!

Pelo caminho vimos arrozais verdes e secos, consoante a disponibidade de água, casas modestas de madeira, palha e zinco sobre estacas por causa das inundações, com suas pequenas hortas, gado zebu, búfalos de água.









































Houve um passeio de motoquatro (quad) que não incluiu a minha pessoa, já um pouco dorida das cruzes. Os mais afoitos gostaram imenso, tendo ainda visitado um orfanato dos vários que existiam naquela região, deixando uma oferta sugerida pelo monitor das motas: um saco de 50 kgs de arroz, porque o dinheiro, dizia ele, não se sabia o verdadeiro destino...









Enfim, o Camboja é uma experiência que merece ser vivida: as pessoas são simpáticas e educadas, o turismo está muito desenvolvido. Ficámos admirados!


Depois de tanto sofrimento resultante de guerras e o regime carniceiro de Pol Pot, este povo, embora pobre, vive sem fome, alegre, bem disposto. São rijos, não há dúvida, com grande capacidade de resistir aos maus momentos.


Fica-me na memória os seus sorrisos, principalmente das crianças...Que na nossa passagem de tuk-tuk ou charrete nos gritavam, acenando: hello, hello!!!!!


Vivem agora uma paz que espero seja duradoura, como merecem!