22 março, 2012

O Farol da Barra....

Hoje reencontrei uma amiga que julgava ter desistido dos blogues...
Fiquei feliz!
Um dia, ao comentar num post meu, escreveu assim:

.....engraçado, morar em Aveiro, ver aqui o que todos os dias admiro, teve um gosto especial, ver o "meu" farol que adoro e que tanta companhia sempre me fez, quando vim de Angola fui morar mesmo para o lado dele, ali relembrei tantos momentos, foi a olhar para ele tantas vezes chorei de saudade, ele e o mar foram e são os meus eternos companheiros, não resisto e deixo-te ficar aqui, para ti o que para ele um dia escrevi:


não sabes ver ou sentir

a quietude silente

sei quem és, onde pertences

sorrio-te,


em dias de luz difusa

ou só de nevoeiro

sorrio-te,

nas noites repetidas

sem astros




reparto contigo solidão

pedaços de alegria

momentos de tristeza ...

paixão


congemino definições

talvez exactas

talvez adversas

talvez por seres

um amigo confidente

talvez pelo brilho

que busco na ausência


tens o mar por companhia,

acodes os aflitos

apontas caminhos

com ciência cativa

entre os teus segredos


e dizer-te mais?

que (já) vives

no meu sorriso.


e estarás comigo,

em lembranças

entre os muros


leito vazante

para uma linha obstinada

entre o tempo e o espaço


sobejas

farol de mim!

e fio de luz

... estendido

até ao amanhecer

... naufragado

entre ilusões

em dias sem sol


e assim mesmo

a ti não hei-de dizer

"adeus"


Helena maltez












Farol e praia da Barra

11 comentários:

greentea disse...

tb fico feliz por te reencontrar ati e ao teu farol...
não tenho ido para os lados de Aveiro, mas antes para o final da A25... uma aldeiazinha que me seduziu completamente há uns anos atrás . Quer dizer, a aldeia e um oriundo de lá...

São disse...

Que o farol brilhe e se não lembre de emigrar para o malfadado facebook!!


POR FAVOR, retire as abstrusas palavras de veificação

Bom domingo

hfm disse...

Belo - farol e texto!

helena maltez disse...

foi bom este sentir amiga.
continuo a abraçar com o meu olhar o farol de Aveiro que tanto me diz. sento-me no café e olho para ele, deixo embriagar pelo mar, ali tão perto, e fico a mesma saudade da terra onde nasci. farol de mim. tantos sonhos me ligam...
beijinho em ti, minha querida e ainda bem que continuas na blofera.

Anónimo disse...

(tantas vezes se perdem os sons, as palavras - e assim, só um fio ténue nos liga ao real. Ando nesse "assim".)

Os faróis das nossas memórias, por aí abaixo, nesse Portugal estirado à beira mar: em cabos, em promontórios, em barras prometendo salvação - são como identificadores, de tempos, de pessoas, de recordações.
Um beijinho Girassol
da bettips

poetaeusou . . . disse...

*
minha amiga,
era uma vez,
um poema sobre a ria, que eu amo,
no meu imaginário e no papel,
ficou o final do poema,
de um Rui ? um Luis ? . . .
,
São sua história belos moliceiros,
Mercantéis de sal seguindo viagem,
Velhas salinas dos tempos primeiros.
Quando navego nas ondas das águas,
P'lo canto do olhar vislumbro na margem
Linda morena afogando-lhe as mágoas ! sic, sic, sic .
,
conchinhas pré-históricas,
das minhas "lembraduras", ficam .
*

C Valente disse...

Saudações amigas

Pitanga Doce disse...

Recordações tão doces me trazem o farol de Aveiro.

Beijos Girassol. Aparece!

Manuel Palhares disse...

"Adeus ó Farol da Barra, Adeus ó Ria de Aveiro...", cantarolava a minha Mãe, na sua imensa alegria e boa disposição...Foi o que me trouxe à memória este teu "O Farol da Barra"!
Um beijinho muito amigo.

Manuel Palhares

C Valente disse...

Saudações amigas

C Valente disse...

Passei e deixo as minhas saudações amigas e tudo de bom