21 janeiro, 2006

Um doce olhar


Face de femme - Henri Matisse

Quando fores velha, grisalha, vencida pelo sono,
Dormitando junto à lareira, toma este livro,
Lê-o devagar, e sonha com o doce olhar
Que outrora tiveram teus olhos, e com as suas sombras profundas;

Muitos amaram os momentos de teu alegre encanto,
Muitos amaram essa beleza com falso ou sincero amor,
Mas apenas um homem amou tua alma peregrina,
E amou as mágoas do teu rosto que mudava;

Inclinada sobre o ferro incandescente,
Murmura, com alguma tristeza, como o Amor te abandonou
E em largos passos galgou as montanhas
Escondendo o rosto numa imensidão de estrelas.

Quando fores velha, William Butler Yeats

2 comentários:

Bazuca disse...

Premio Nobel 1923, este irlandes está aqui um pouco soturno...uma mulher nunca faria um poema assim, a velhice não é para ser posta em verso, é para ser camuflada...com make-up e pintura dos cabelos...pronto, já entreguei a carta a Garcia, e tu Girassol agora és o Garcia!rsrsrsrs....
jinhos!!!

Girassol disse...

Ganhaste, hein?
Foi resvés...ou seja vitória também do Resvés!!!!!!
Bjs