31 agosto, 2007

"O Cessna"

Lembro-me de ouvir na rádio e ler a notícia.
Tinha desaparecido uma avioneta “Cessna” pilotada por um americano...

Recordei imediatamente a viagem feita nessa avioneta da Beira ao Luabo, em Moçambique, para resolver qualquer problema referente a avarias eléctricas, na fábrica da “Sena Sugar Estates”.
E lá fomos, pai e filha, mais uma vez, no avião vermelho e branco com o piloto americano.


Cessna


Tenho de ser sincera e dizer que, apesar da pouca idade na altura, apenas 10 anos, eu tinha bastante coragem e gostava de “aventuras”.
Não havia dúvida que aquilo para mim era uma aventura...
Voar numa avioneta!

O piloto, muito simpático, sobrevoou manadas de búfalos escondidos por “garças boieiras”, que à nossa passagem levantavam voo formando uma nuvem branca muito extensa...
Estava maravilhada!!
Para mim era um espectáculo completamente novo!


Ao longe começaram a desenhar-se nuvens muito negras, sinal da aproximação de forte tempestade e chuvada.
Percebeu-se a preocupação do piloto, que nos explicou que iria fazer um desvio, ladeando o temporal pelo mar.
E assim, dum lado tínhamos o céu escuro, ameaçador e do outro, sol , muito sol e praias de areias brancas e águas azuis...

Pensei algumas vezes, quando soube do desaparecimento, que provavelmente o piloto não teria tido a sorte de escapar a qualquer intempérie...
Como tinha acontecido daquela vez!

Mas o mais certo foi ter-se posto ao fresco, dada a situação complicada naquela parte de África….!!!!
Acredito mais nesta versão…

8 comentários:

Maria disse...

Vais-me encantando com as tuas estórias de vida....

Beijinhos

Teresa David disse...

Sempre desejei conhecer África. Como nunca tive essa oportunidade, tenho várias pessoas amigas que lá viveram e me dão um cheirinho a savana! Estas histórias também o fazem, e bem!
Publiquei algo talvez um pouco controverso, mas não resisto nunca a dizer o que realmente sinto.
Bjs
TD

Joaninha disse...

Continua a encantar-nos com as históris da tua vida ,porque além de muito bem escritas têm muita alma. A mim levam-me a um continente onde nunca estive ,mas que ,pelos meus amigos e familiares que lá nasceram e viveram , aprendi a gostar e ,ao mesmo tempo ,fizeram e fazem crescer o desejo íntimo de o visitar.Mil beijos, e obrigada por estes bocadinhos bem passados,esperando que breve os possamos viver com muita risota á mistura "a cores e ao vivo"...

Teresa David disse...

Bem que gostaria de não morrer sem visitar a África que me sugere cheiros e cores fortes que tanto gosto de usar quando pinto! Quiçá não possamos concretizar essa viagem?
Aliás, quem por África passou, vem com uma abertura de cabeça muito maior do que aqueles que viveram sempre confinados a este cantinho, quase getto, salvo, quem, através da coragem, abriu-me as portas e partilhou a sua vida com várias culturas de outros continentes, mesmo não saindo de cá, pois pode-se conhecer o mundo através das experiências humanas dos outros,e, dos livros, sempre.
Bjs
TD

poetaeusou . . . disse...

*
africa minha ...
*
xi
*

Alexandre disse...

Um relato fantástico de coisas que desconhecemos! Uma boa maneira de contar histórias verdadeiras e de aprendermos algo mais!!!

Abraços!!!

Pitanga disse...

Hoje tive nas mãos as fotos de Aveiro com os barcos, o farol, o pôr do sol...sem comentários.

beijinhos

bettips disse...

Nunca estive em África. Provavelmente nunca lá irei. Mas sempre me fascinou. Aqui encontro motivos para aquele melancólico "I had a farm in Africa..." (que adoro) ainda por cima como contas, sobrevoando manadas, savanas, florestas... Fascinante!