01 setembro, 2007

“A cicatriz”


Em frente a Lourenço Marques, hoje Maputo, do outro lado da Baía do Espírito Santo, fica a Catembe, donde se avista uma bela panorâmica sobre a cidade.




Mas o passeio valia pelos bons camarões, sesta na praia, de barriguinha confortada e por último uma banhoca no mar.
Atravessava-se de barco, talvez demorasse meia hora, se bem me lembro.

Praia da Catembe
Num desses passeios, ao entrar na água, senti que tinha qualquer coisa no pé direito.
Rapidamente a água ficou vermelha…
Tinha pisado um fundo de uma garrafa partida!

Embrulhado o pé em toalhas, uma aflição por causa do sangue perdido.
A espera pelo barco, sempre ao colo, a viagem de regresso, o banco de urgência do hospital.

Imagens bem vivas na memória.


Cais de embarque - Catembe

O golpe era fundo, levou vários agrafos, chamados “gatos”.
Era o que se punha naquele tempo!
Não me lembro de ter chorado grande coisa, sempre fui valente.

Mas quando olho para o pé direito, lá está ela, na planta do pé, a grande cicatriz, feiosa, torta, para me lembrar deste episódio bravo dos meus tempos de infância.

Vale a pena manter as praias limpas…
Para que episódios como este não aconteçam.

14 comentários:

Papoila disse...

Querida Girassol!
Saudades...! Saudades...! Saudades...!
As fotos são uma maravilha!
Beijos

Teresa Duraes disse...

:)
gostei destas memórias. De Africa só conheço a Ilha do Sal que dizem ser a Europa de Africa.

Tenho pena (mas não tenho dinheiro ahahahahah).

Um dia lá irei, claro

Bom fim-de-semana

Pitanga disse...

Já viste que o mar anda sempre a te seguir? Bom, não é?

beijinhos de sábado

Maria disse...

Estas fotografias "abrem-me" cada vez mais o apetite... de voar até lá.
É uma das viagens que farei, um dia (não muito longe...)
Gosto das tuas memórias, já sabes...

Beijinhos

Mocho Falante disse...

olá Girassol, gostei deste teu regresso à infância, tal como tu também eu cortei o pé numa garrafa e hoje a cicatriz lá está para me recordar esses tempos

beijocas

Rodolfo N disse...

Que belleza de lugares, mas allá de la anécdota.
Um dia verei la?
Beijos

pb disse...

Adorei estas tuas memórias, falas-te nos " gatos ", relembraste-me quando em miudo, com 5 anos anos, caí da nespereira abaixo e abri a cabeça...tambem levei agrafos, com uma diferença, não foi no hospital mas sim numa clinica dentária, aplicados por um dentista...bjs

Anónimo disse...

Ana,
Que saudades da Catembe aonde aprendi a velejar...todos os Sábados e Domingos de manhã..durante 15 anos ( dos 6 aos 21)..15 anos de aventuras, toda uma vida...milhões de imagens, de recordações, de amigos que não voltei a ver...
Obrigado Ana!!
Chico

hfm disse...

Memórias com cicatriz dentro.
Nunca estive em Moçambique mas sempre ouvi grandes descrições de quem a conheceu até aos 10 anos - meu pai que nasceu no Xaixai.

Kalinka disse...

QUERIDA GIRASSOL

BELO O SEU TEXTO.
Parabéns. Gostei, mesmo com as lágrimas correndo. O meu marido trabalhou na fábrica de cana de açucar da Açucareira de Moçambique, no Mafambisse e eu vivi lá, momentos tão sublimes.

Olhe para o lado:
Há sempre alguém que
Quer ser abraçado e
Não tem coragem de dizer.
Enlace-o.
O pior que pode acontecer
É ganhar de volta um sorriso de carinho
Ou quem sabe, uma palavra sincera.
Você vai descobrir
Que ninguém está sozinho
E que a vida pode ser
Um eterno céu de primavera.

Um bom domingo
Na companhia de quem mais te abraça...

E, eu continuo com o ALFABETO. Estás curiosa?
Beijitos, letra B

bettips disse...

Para ti, terá de ser largo o tempo. De ler, de olhar, de respirar os teus sentimentos. Ainda virei, então... Bjinho

bettips disse...

Como é bela uma infância de liberdade! Mesmo com a cicatriz.
A propósito, e de propósito: tenho uma num joelho, bem visível, caí na praia num rochedo e fui embrulhada num guardanapo do almoço. Tinha um medo imenso de apanhar pelas diabruras...

C Valente disse...

Boa narrativa, optimas fotos
saudações amigas

Anónimo disse...

Boa noite! Foi com muita satisfação que vi suas as fotos, elas lembram-me a minha infância. Que saudades, de ir à praia da Catembe e esfregar os meus pés na areia para descobrir ameijoas.


Obrigada pelas belas fotos.