08 setembro, 2007

“A garrafa azul”

Alguns fins-de-semana eram passados em belas praias, quando o trabalho não apertava na oficina e o tempo o permitia.
Uma das nossas preferidas era a praia da Ponta do Ouro.


Praia da Ponta do Ouro

Ficava a 115 km a sul do Maputo.
Para lá chegar era preciso atravessar o rio de batelão e percorrer uma grande parte do percurso em estrada de areia.


Existia um complexo junto à praia com bungalows e restaurante, parque de campismo e casas para alugar.

Àgua tépidas, ondas relaxantes, sol queimando forte, areal de perder de vista.

Afastei-me do local concorrido para um passeio à beira-mar.
Mãos dadas, olhos nos olhos, corações apaixonados, saltando do peito.
A imensidão da praia, uma brisa suave, troca de palavras ternas.
Amor de juventude...

Resolvi entrar na água para refrescar, a pele queimava, já se notava um vermelhão nos ombros e braços.
De repente, senti uma chicotada na perna direita…

Dor, ardor, saí da água a correr.

Um enorme vergão vermelho pela perna abaixo, mostrava o ataque violento de uma “garrafa azul”, a também conhecida “caravela portuguesa”.
Sabem porquê?
Olhem para ela…

Physalia physalis – Caravela portuguesa (foto de João Quaresma)



O terror das praias moçambicanas é, sem dúvida, o perigoso e agressivo tubarão branco.
Muito menos perigosas, mas bastante incomodativas são as alforrecas e as garrafas azuis, ambas medusas, que em contacto com a pele provocam uma irritação difícil de aguentar.

Alforreca


No paraíso moçambicano não há só beleza para recordar.


Há dores por sanar, mágoas para apaziguar, despedidas para ultimar.

(Imagens da net)

12 comentários:

Barão Van Blogh disse...

Sou novo nestas lides ...

Aqui deixo o convite para que visitem o meu espaço .

"Ao lado de fortes cavaleiros eu seguia
Terras de mil cores nós ia-mos conquistar"

Bom fim de semana .

J.G. disse...

Muito bonitas, as memórias e as fotos dessa terra morena!

Um abraço.

Jorge G - O Sino da Aldeia

Isabel-F. disse...

vivências tuas = a vivências minhas.


há muito me não lembrava das garrafas azuis...

magoavam que se fartava ... parecia mesmo um corte feito com um vidro...

beijinhos

Fernanda e Poemas disse...

Lindas fotos amiga, como eu gostaria de ver tanta beleza.
As tuas palavras chegaram ao meu coração.
Adorei!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Bom fim de semana.

Beijinhos com sabor a mar.

Fernandinha

Ana Patudos disse...

Sabes uma coisa querida girassol, se tu fores lá, a uma dessas praias, gostava de te pedir um frasquinho da sua areia, para sentir uma vez na vida o cheiro da tua África, que nunca irei conhecer.
beijinho grande
Ana Paula

C Valente disse...

Lindas fotos, boa narrativa
só não gostei foi da garrafa azul e alferracas que irritam demasiado a pele
Saudações amigas, resto de bom fim de semana

Teresa Calcao disse...

Deixar para sempre a terra onde nascemos e muito doloroso,semelhante a perda de um grande amor,porque nao e facil deixar para tras tudo aquilo com que nos identificamos desde a nossa meninice....mas arranja coragem e faz o que deves(pela tua saude)!!!!!!
Beijinho doce

bettips disse...

Pela tua mão e sentimento, a descrição é maravilhosa. As fotografias saltam vida, tocam-se. Ah...como será quando voltares?
Bjinhos

Tozé Franco disse...

Bonita praia sem dúvida. Mas como tudo que é bonito também tem algo que pode causar dor.
Um abraço.

Maria disse...

Deixas-me "água na boca"....

Beijinhos

butterfly disse...

Salta-se de um blog para outro, vim aqui parar quando li um comentário onde dizia Xai-Xai.
Xai-Xai e a Lagoa do Bilene, ali tão perto.
Recordei a última vez que fui a África.
Boa estadia
Um abraço

Teresa Durães disse...

ai o que ando aqui a perder....


vou ver mais!