28 agosto, 2007

"O Amor"


Lourenço Marques/Maputo (1975)

O meu pai foi para Moçambique, em 1950.
Tinha uma oficina na Figueira da Foz, até estava bem de vida!
Mas os homens, naquele tempo, perdiam a cabeça por um rabo de saia...


Assim, para castigo, foi empurrado para África pela minha progenitora!



"Pátria"

Só lhe posso agradecer por essa decisão radical, já que me deu a oportunidade de conhecer um continente mágico, do qual ainda hoje sinto tanta saudade…
Adiante!

Ele tinha, nessa altura, um criado chamado “ Amor”.
Será interessante pensar como seria comprometedor quando lhe pedisse algo:
- Ò Amor, traz isto...
- Ò Amor, faz aquilo .....

Tinha alguns amigos pescadores e de tanto ouvir as suas histórias quis experimentar pescar.
Comprou todos os apetrechos: cana, carreto, anzóis, linha, isca.
E lá foi para a doca dos pescadores, levando consigo o Amor.



Iscou o anzol e lançou a linha....
Como não conseguisse ver onde tinha ido parar o anzol, chamou:
-
Ò Amor , viste o anzol?
- Tá aqui! - disse o Amor, mostrando o dedo polegar trespassado pelo anzol...

O pretenso pescador é que ia desmaiando...
Serviu-lhe de lição: foi a primeira e a última vez que foi à pesca.
Em toda a sua vida, o único “peixe” que pescou foi o dedo do Amor!

9 comentários:

C Valente disse...

Gostei da narração
saudações amigas

Kalinka disse...

Amiga Girassol
...fizeste as lágrimas soltarem-se, cada dia é mais difícil recordar a minha terra - Moçambique.

Ora bem, vou iniciar uma série de posts sobre o ALFABETO da minha Vida. Cada dia vou postar uma letra do abecedário, e direi o que achar sobre ela, podem ser coisas boas ou menos boas, são as que foram ou são importantes durante a minha vivência.
Hoje, em homenagem ao meu neto ANDRÉ - dia do seu 1º aniversário: Parabéns a você, nesta data querida, muitas Felicidades, muitos anos de vida...
começo precisamente pela 1ª letra do Alfabeto - a letra A.

Beijitos azuis (em homenagem ao meu neto)

Maria disse...

Gosto desta vertente dos teus dois (ou três) últimos posts.....
É a viragem dos quase nossos gloriosos 60? É bom...

Beijinhos, alargando um ao pescador a sério

SM disse...

Bom dia!

Obrigado pelas palavras de encorajamento que deixaste no GAP ... e ja agora aproveito para dar os parabéns pelos textos fantasticos que tens no teu blog ... ja saltou para os Meus Favoritos!

Beijocas
SM

Ana Patudos disse...

Como gostei de passear por entre as tuas palavras e recordações. Foi muito bonito.
Grande beijinho
Ana Paula

poetaeusou . . . disse...

*
naquele tempo ?
e neste, grande flor ?
*
xi
*

Girassol disse...

Como uma história tão simples, pode ter um significado tão grande. Basta que estejamos receptivos a todas as mensagens que elas nos pode passar.
Adorei.

Beijo.

Menina_marota disse...

Mais uma excelente narrativa... mas se fosse hoje... olha que falsos testemunhos não haveria o teu Pai de enfrentar :-)))

Bjinhos ;)

bettips disse...

A piada que tu lembras tão bem! Vou adiante, para o resto...