20 maio, 2006

Ecos de Macau VI



Macau antigo - aguarela


Podem-nos quebrar as estátuas
Mas pior…
É fingirmos que não as conhecemos
Podem-nos tratar com soberba
Mas pior…
É olharmos para o chão envergonhados
Podem-nos tratar como vencedores
Mas pior…
É abandonarmos os que confiam em nós

A Face, O Pescador de Margem – Fernando Sales Lopes

Capa de O Pescador de Margem
Ilustração de José Rodrigues


Fernando Sales Lopes é licenciado em História, mestre em Relações Interculturais, e jornalista profissional. Nasceu no Barreiro e reside em Macau desde 1986.
Em Portugal desenvolveu a sua actividade profissional na imprensa escrita, rádio e televisão. Foi chefe de redacção da Rádio Comercial, e director da RDP-Sul e da Rádio Algarve por si criada. Em Macau foi director de programas de rádio e televisão da Teledifusão de Macau (TDM), sub-director do Gabinete de Comunicação Social (GCS), director-executivo da Revista Macau (I série), analista de imprensa e coordenador de diversas edições.
Publicou, em 1997, o livro de poemas Pescador de Margem (ed. Livros do Oriente, Macau,1997) galardoado com o Prémio Camilo Pessanha 1996/97, do IPOR. Autor, entre outros, do poema Flor de Lótus, letra do hino de encerramento da Sessão Cultural da Transferência de Administração de Macau para a China (1999); do livro de poemas Não-Ser, edição restrita especial elaborada por ocasião do Colóquio Homenagem a Luís de Camões - Poeta Universal (1999); do libreto do disco de Rão Kyao, Junção (ed. ICM, Macau,1999, e ed. ICM/Farol, Lisboa, 1999); de poesia dispersa; representado nas antologias da Revista Anto (n.5, Primavera, 1999, Amarante, 1999) e em De Longe à China (ed. Instituto Cultural da RAEM, 2000); e co-autor do livro Zeca Sempre, edição integrada nas comemorações do 10.º aniversário do desaparecimento de Zeca Afonso, Macau, Fevereiro de 1997.

12 comentários:

lena disse...

voltei lentamente, mas voltei, não consegui comentar todos ainda, pois a ausência fez que não lesse muitas postagens,
lentamente voltarei à normalidade e queria ler tudo o que deixei de ler,
hoje foi aqui que me sentei e fiz a viagem contigo, senti o teu carinho, passeie com os teus "olhos" pelas tuas palavras, por Macau e adorei,
a poesia que li encantou-me, os quadros e as imagens também, não sabes como fiquei contente com este teu partilhar tão bem descrito onde me sentia presente

Fernando Sales um poeta que já lia, mas tu deste-lhe mais encanto ao partilhares aqui a sua bela poesia, adorei

não perdi tempo aqui, ganhei, ganhei muito, obrigada por escreveres assim, onde consigo imaginar e sentir a beleza de cada momento. agora também sei que estás, imaginava-te ainda em Macau e que de lá não tivesses postado, enganei-me e acabei por me encantar

voltarei para continuar a ler esses ecos que não quero perder

beijinhos muitos e o meu abraço menina que "gira com o sol" és linda e brilhas

lena

Jardineira aprendiz disse...

Não conhecia este poeta, gostei muito deste poema.
E da música, que só hoje descobri!

Licínia Quitério disse...

Não conhecia este Poeta. Podes dizer-me se os livros dele se encontram por aí? Obrigada por mais uma pista. És um manancial de informação envolvida sempre em afectividade. Obrigada.
Beijinhos.
Licínia

Girassol disse...

Lena, menina bonita que muito aprecio pela sensibilidade e talento, estou contente por teres voltado à blogosfera!
Que bom teres gostado do que mostrei e escrevi...Há tanto para ver e gosto de ter companhia para apreciar toda essa beleza, para nos encher a alma.
Como Fernando Sales, senti, lá longe, que poderia transmitir algo positivo, que nos pudesse elevar a moral, percebermos que somos um povo que foi longe, deixou obra por todo o lado. Poderemos ainda, se quisermos, ir mais longe!
Obrigada pelas tuas doces palavras!
Beijinhos

Girassol disse...

Jardineira
Licínia
Este livro é dos Livros do Oriente, colecção Extratextos.
O Instituto Camões também publica livros de poemas. Talvez a net tenha essa informação. Desta vez vim carregada de poesia, que irei debitando e partilhando convosco...
Beijinhos

A.J.Faria disse...

Olá, Girassol!
Obrigado pelas palavras sábias que nos deixas!
Ficamos a conhecer um pouco mais sobre Macau!
Bom Domingo!
Bjs

Isa Calixto disse...

Obrigada pela música que só hoje consegui ouvir, obrigada pela aguarela, obrigada pelas palavras que a acompanham...
E muito obrigada pelas palavras que deixaste no meu cantinho. Devolvo um doce carinho e um beijinho.

PiresF disse...

Excelentes porque verdadeiras, as frases do Fernando Sales Lopes, que escolheste.

Um abraço.

aprendiz de viajante disse...

Passei para deixar um bjinho... Fica bem!

sa.ra disse...

lindo esse poema! lindo!
beijinhos!
dia muito feliz!

Mocho Falante disse...

ora viva...tu continua por favor a divulgar a terra de Macau e as suas gentes...é que assim também é possível viajar

Beijocas com sabor a chaoMin

alfazema disse...

Querida Amiga

Chegou a hora de te agradecer todos estes posts que nos enviaste. Deliciei-me a lê-los, viajei, deste cantinho do sudoeste europeu ao extremo-oriente, com prazer, sem cansaço algum, sem vontade de parar uma vez que fosse. Escreves muito bem, prendes-nos à leitura mas prendes-nos essencialmente a ti.Porque sinto que há aqui algo mais a desenvolver-se do que o prazer de visitar-te quero agradecer-te a amizade que começa a despontar.A descrição desse teu quotidiano oriental tocou-me especialmente. Viajei contigo. Obrigada pela companhia. Beijinhos