09 março, 2006

Começar de novo...







O Ricky ( Henrique Santos) ,do blog De costas para o rio, deixou este soneto num comentário...

Da Florbela, a mostrar a capacidade da Mulher em superar a vontade de chorar...
A minha homenagem para vós



O lenço - Henri Matisse

Se me ponho a cismar em outras eras,
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida ...

E a minha triste boca dolorida,
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida !

E fico, pensativa, olhando o vago ...
Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim ...

E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma !
Ninguém as vê cair dentro de mim !

LÁGRIMAS OCULTAS - Florbela Espanca
Este é o meu soneto preferido da Florbela.
Coloquei-o na parede, por cima da cama do Lar na rua da Lapa, no bairro da Estrela em Lisboa. Quando me afastei e larguei tudo por causa de um desgosto de amor...
E resolvi começar de novo...
Secou muitas vezes as lágrimas teimosas, assistiu ao sofrimento calado, ao afastamento da minha terra linda, da minha família, dos amigos, do meu conforto africano. Assistiu ao frio, ao medo, à solidão, ao sacrifício de estudar em terra estranha. Nunca esquecerei estas palavras de Florbela, foram um bálsamo mágico no meu coração ferido!
Obrigada Ricky!

12 comentários:

Girassol disse...

Bitta, que aconteceu ao teu blog????? Desapareceu...
Bjs

A.J.Faria disse...

Olá, Girassol!
Poema lindo, cheio de sentimento e profundidade!
Aliás, são estas algumas das qualidades que definem a personalidade repleta de sensibilidade que é a mulher!
Um beijinho,

PiresF disse...

Já agora e como gostas de Florbela Espanca, uma informação:
Uns amigos meus brasileiros, e no Brasil, mantêm um blog sobre a Florbela, todos os dias publicam um soneto.
O curioso, é serem brasileiros a fazer isso.
Aqui está o endereço. http://www.prahoje.com.br/florbela/

HatA/mãe disse...

Minha querida girassol
O teus post enterneceu-me...não sei se é ficção, mesmo assim é uma situação linda de superação de um estado de grande sofrimento, sabendo dar a volta por cima.
Olha eu digo-te , do fundo do coração, para mim o vir aqui, é que é, um bálsamo que me alivia e refresca.
Gosto tanto de ti, lembro-me das primeiras vezes que me visitas-te no outro blog...e eu estava sempre àe espera das tuas palavras, com uma ansiedade infaltil.
Toda a felicidade do mundo para ti mminha amiga.

Henrique Santos disse...

Ainda bem que gostaste, fico feliz.
Florbela é Florbela...
BFS, Ricky

greentea disse...

as lágrimas serviram para ultrapassares a dor e crescer.
o desgosto valeu tb. porque se esse amor acabou é pq não era o amor da tua vida, mas aprendeste com ele. e superaste . e cresceste. e hoje ris. como a D Maria , para não teres Alzheimer...
Beijos

Girassol disse...

Biiiiiiiiiiittttttttttttta.....!
Então?

Faria, apreciação justa e carinhosa!

Pires, que dica fantástica! Valeu, já lá fui...

Querida Noite, não sei ficcionar, não tenho jeito...Quem me dera!
Sofri, custou, curei-me! Um dia conto esta história...

RickY, Florbela é Bela, embora triste, quase sempre...

Greentea, todos viam menos eu, a incompatibilidade, a infelicidade para a qual caminhava...É assim a paixão, cega-nos...!

Bjinhos para todos

Isabel-F. disse...

Lindo o poema....é sempre bom reler Florbela.

Bjs e bom fim de semana

alfazema disse...

As palavras de Florbela são mesmo " um bálsamo para os corações feridos". Também muitas vezes li os seus sonetos e... não contive as lágrimas. Foram momentos tristes que recordo muitas vezes.Para continuar os estudos, tive um dia de sair sozinha da minha terra natal,deixar os pais, e ir para a cidade grande, onde, ao princípio, me sentia quase no fim do mundo.
Li, reli, reli...muitas, muitas noites estes sonetos.
Um beijo

Girassol disse...

Isabel, melhoras rápidas!

Alfazema, recordar faz bem! Para entendermos que tudo fez parte do nosso processo de crescimento...

Bjinhos para as duas

Anónimo disse...

O vento levou o meu blog pelos ares, bem como todas as palavras que lá estavam... desculpa ter apagado os teus comentários simpáticos, mas a verdadeira amizade não precisa disso para coisa nenhuma... por isso estou aqui para te deixar um beijinho.

De vez em quando passarei por cá.

Bitta

Girassol disse...

Bitta, estava preocupada...
Que importam as palavras que deixei se se apagaram? Tenho a certeza que ficaram contigo...
Quando apareces novamente? Tenho saudades, eras uma constante nesta Blogosfera, um cantinho onde me sentia tão bem! Vá, Bitta, toca a repôr o teu Diário de Bordo, um blog imprescindível! Tinhas tantos leitores, tantos amigos blogueiros que te acarinhavam dum modo muito especial...Fico à espera....
Já cliquei tanta vez sem resultado....Não desistas!
Começar de novo é muitas vezes necessário e refrescante!
Beijinho