03 março, 2006

Bife de Charolês...hurra!


A propósito de alguns comentários que têm aparecido aqui acerca das viagens e do dinheiro que é preciso para as fazer...
Meus queridos amigos, deixem que vos diga o seguinte: a maior parte das viagens que fiz para conhecer a velha Europa, usando o campismo como alojamento, um VW Jetta comprado em autogrupo (tinha uma enorme mala), um cartão Visa, algumas notas de cada país que visitava ( ainda não havia euros, nem cheiro...), foram realizadas na fase mais pelintra da minha vida...!!!

E que saudade!

Costuma dizer-se que querer é poder! Enquanto a maior parte do pessoal ia para o Algarve torrar o corpinho, trabalhar para o bronzé, esta rapariga ia cerca de quinze a vinte dias viajando pela Europa, com enorme sacrifício, tanto físico, como material....Físico, porque, para conhecer terras, cidades, museus, era preciso andar muito a pé, esgravatar terreno...Muita sola gastei e, mesmo assim, peso não perdi! Material, porque usando bastante o cartão de crédito, empenhava-me até aos cabelos, ficando todo o ano a pagar a brincadeira com juros altos....
Dir-me-ão que talvez não fosse a opção certa...Mas que outra teria? Esperar para ter dinheiro???? Isso nunca mais....Para os portugueses era e ainda é difícil!!!
Claro que é muito mais interessante ir para as Caraíbas ou outros destinos tropicais, fazer praia, viajar de avião, ficar em hotéis, dormir em boas caminhas....
Ai, caminhas...Por falar nisso, acabámos por comprar um colchão de casal insufável, uma maravilha! Dormia-se mais que bem!
Numa fase posterior, adquirimos uma geleira que se ligava ao isqueiro do carro, para ter água e fruta frescas e guardar os alimentos, sem se estragarem.

Camping - Bois de Boulogne - Paris
Numa dessas viagens passámos por Paris, a cidade do Amor...
Eu já tinha estado uma semana em Paris em solteira, na minha viagem de fim de curso. Mas o Fernando não conhecia e eu servi de cicerone. Por pouco tempo!
Acampámos no Bosque de Bolonha, um horror de parque de campismo...
Agosto, calor, a abarrotar de gente, casas de banho, uma porcaria; fiquei entupida e com poucos banhos no pêlo....
Como não gosto de cozinhar, tinha levado umas refeições enlatadas...
Ao fim de dois dias, o Fernando virou-se para mim, desesperado, e disse:
- Olha, se continuo a comer disto, ou ladro ou mio!!!!!!
E fugimos dali o mais depressa possível....


Bayeux

Fomos para Bayeux, uma pequena cidade na Normandia, muito bonita, famosa pela sua tapeçaria, A Tapeçaria de Bayeux ou da Rainha Matilde. (0,50mx70m)



Fragmento da tapeçaria de Bayeux

O parque de campismo municipal, um luxo! Máquina de lavar roupa, espaço à vontade, relvado, bonito.
O supermercado ficava perto e fomos às compras. Nas carnes, os bifes de vaca chamaram a atenção!
O Fernando pegou numa embalagem e leu: Charolais...(Charolês)
Nunca mais quis outra coisa....!!!!!



11 comentários:

Mocho Falante disse...

ai que saudades das minhas viagens pelos campings europeus, recordo uma vez que chegeui já muito tarde a Sanz Tropez e decidimos dormir no carro porque o parque já estava fechado. Toalhas nos vidros e toca a dormir... de manhã ao acordar percebemo-nos que estavamos no meio da Marina envoltos em luxuosos iates e pilhas de ferraris...criadas fardadinhas nos iates a servirem o pequeno almoço aos patrões enquantos estes olhavam esbugalhados para nós com um ar pidérico e cheio de ramela...lololol

belos tempos. E foi assim que pela primeira vez visitei toda a riviera francesa

Girassol disse...

Já me ri! Essa não me aconteceu, não!Estás a ver como éramos sortudos na nossa "pindirequice"....Nunca mais se esquece!
Bjs

AS disse...

Querida Girassol, acredito plenamente, até pelo gozo do imprevisto e da aventura, mas lamentavelmente, não gosto de campismo....

Um beijinho

Girassol disse...

Frog, nem sabes o que perdes, amigo!
Estou a brincar...Foi duro, hoje não sei se seria capaz!!!!!
Bjs

Pedro Farinha disse...

A fase em que mais viajei foi a da pelintragem também, de inter-rail e mochila às costas. Por vezes chegavamos a uma cidade e escolhiamos se naquela comiamos ou dormiamos, ou mesmo se era naquela queo dinheiro tinha de ser para as recordações para levar para casa. Mas também sinto saudades desse tempo.

alfazema disse...

Gosto de viajar assim. De avião nem pensar.Destas viagens pindéricas como lhes chamas ficam, em geral ,boas recordações. O espírito nómada dos nossos tempos de juventude ajuda a colorir todas as dificuldades.À distância as coisas até nem correram muito mal.
Um beijo

Micas disse...

ADOREI este espaço, primeiro porque revi nele os meus tempos em que ainda não tinha crianças e a palavra aventura e descoberta eram primordiais, depois porque adoro viajar e ainda hoje o faço, com mais comodidade é certo, contudo não com tanto sabor!! Voltarei aqui com toda a certeza.
Bom fim de semana :)

paper life disse...

:) Também comigo foi semelhante, as viagens mais curtidas foram as mais tesas. Viajar é fácil, difícil é saber viajar.

:) bj

mixtu disse...

menina viajada e poupada...lol
mas é isso, embora eu já estou farto de parques de campismo, lol
jinhos e cumprimentos para os viajantes

Anónimo disse...

Best regards from NY! ultram nbsp nbsp tramadol Gaba supplements anxiety strong celebrex daily horoscope Tramadol and menstrual cycles

Anónimo disse...

best regards, nice info Vacuum cleaner bags built in vacuum compare vacuum power washers Bmw m3 convertible parts Stylus pens for pdas http://www.yahoo-fantasy-baseball.info Horse racing bookstore Craps station sell Celexa+acne Causes of impotence Free adware remover downloads online commodity trading buy levitra Hampton inn loveland State of marylane liability auto insurance black cock asian ass http://www.medical-malpractice-4.info