19 fevereiro, 2006

Separação...bem aproveitada!


Já aqui contei como me senti, quando fiquei sozinha com as minhas pequenas, por ausência do Fernando durante seis meses, para fazer um curso no Canadá.

De rastos...no primeiro mês. Depois ergui-me, respirei fundo e pensei:
- Grande oportunidade para fazer tudo o que me der na bolha...
Dinheiro não me faltava, já que tinha ficado com dois ordenados para gastar...Falta dizer que somos um casal à moda antiga: apenas uma conta de banco comum, resultado da acumulação dos vencimentos. No fim de cada mês, claro, a conta a zero ou pouco menos...Adiante!
Na altura tínhamos uma Citroen Dyane bege.



Em alguns fins-de-semana, rumávamos à Figueira: abríamos a capota, cabelos ao vento, música dos Wham e outras do género e lá íamos passar, com a família, uns dias de lazer.
Chegadas as férias, resolvi viajar com uns amigos: quinze dias de campismo em Espanha, quinze dias numa casa alugada em Albufeira.

Toledo - El Greco

Toledo, Córdova, Granada, foram as cidades calcorreadas: derreti sob o calor intenso de Agosto...e derreti a massa! Vingança de china!

Alhambra - Granada

No Algarve, nunca íamos para a mesma praia, o que era uma trabalheira!
Um dia fomos para Armação de Pêra. Montes de gente, uma confusão. Os meus amigos e os garotos voltaram da habitual caminhada pela praia muito alvoroçados: tinham passeado pela praia ao lado e visto uma quantidade de nudistas deitados ao sol... Bom, perante tanto alarido, resolvi ir dar uma volta. Curiosidade era mato!

The Beach Nudistes - Fred Yates

Nada de especial, achei: lá estavam eles, comodamente estendidos ao sol.
Caminhei durante um tempo, chapinhando com os pés na água e levantando a água para me refrescar.
De repente, em contra-luz, vejo alguém aproximar-se, em sentido contrário. Mais perto, apareceu-me um homem lindo, loiro, cabelo comprido, corpo nu tisnado de doirado pelo Sol, um verdadeiro Adónis! A boca secou, as pernas fraquejaram, a pulsação aumentou desenfreada: era tudo resultado daquela maldita separação, já lá iam cinco meses...
Quando aquela beleza de homem passou apenas a dois metros de mim, senti uma onda de choque...e logo a seguir uma sensação boa, de acalmia.
Daí a um mês, quando o Fernando regressou, não era só eu que tinha saudades!
E iniciámos uma nova e maravilhosa lua-de-mel…
Ah...Afinal valeu a pena....


10 comentários:

AS disse...

Há momentos assim... incontroláveis!... ainda bem que a lua de mel foi maravilhosa!!!

Um beijo

Bitta disse...

As tuas histórias são sempre deliciosas... grandes aventuras, grandes finais!!!

Um beijinho.

PiresF disse...

Uma história francamente deliciosa, o Fernando é que não deve gostar, já que essa vingança foi incontrolavelmente mazinha.

paper life disse...

Passo rápido deixado um beijinho e um obrigada.

:) Boa Semana

Bitta disse...

Esqueci-me de te dizer que gostei muito do teu novo visual... é a proximidade da Primavera?

Girassol disse...

Frog,já lá vão uns bons anos, mas estas histórias não se esquecem...e outras se seguiram!

Bitta, pois apeteceu-me trazer um cheirinho da Primavera...só que é muito cedo...Só chuva, granizo, frio!!!

Pires, nem por isso: todos passeámos, divertimo-nos, tivémos o nosso quinhão de felicidade, embora de modo diferente...e com alguns custos!

Paper life, que bom saber de ti! Obrigada por teres aparecido!

Beijokas para todos

Isabel-F. disse...

...adorei o teu relato...

valeu a lua de mel ter sido óptima...

nunca estive separada mais que dez dias...e odiei...nem consigo imaginar uma separação de 6 meses...


boa semana
bjs

Mocho Falante disse...

eu adoro estes teus relatos.... sabe bem ficar aqui a ler e a tentar visualizar todo o cenário

beijocas

Bazuca disse...

tu és bem divertida, Sunflower, a vida ao pé de ti é...uma festa! não é? Fernaaaaaando!!!!então?!rsrsrs...
durmam bem!

HatA/mãe disse...

Girassol
Viagei contigo nesta narrativa engraçada. Armação de Pera como todo Algarve, no Verão é caótico.
Só não te acompanhei, na tua lua de mel, que seria pessoal e intransmissivel...
Mas fiquei contente, da tua felicidade.
Um abraço