23 fevereiro, 2006

A Cassete Voadora


O meu Fiat 124 com matrícula MLE-45-04 durou vinte e cinco anos. Desde os dezoito anos ( tive de me emancipar para poder tirar a carta...) foi o meu companheiro inseparável; viajou de Moçambique para Angola e depois para Portugal. Mudaram-lhe o volante, mudaram-lhe a cor de azul claro para branco e ele, mesmo assim, agradecido, portou-se sempre à altura, sem acidentes. Por fim, o seu coração, cansado, parou de bater. E acreditem, nem quis estar presente quando o levaram para a sucata, o meu primeiro carro. Aflitos, tivémos de arranjar um carro em segunda mão e comprámos uma Dyane. Barrete, claro!

A viagem inaugural Aveiro-Viseu foi um espectáculo: chovia tanto fora como dentro do carro!!!
Um dia, em fim de tarde, íamos à festa de aniversário duns amigos cuja casa se distancia cerca de 4 km da nossa.
Pelo caminho, não tendo cassetes no carro, pedi às garotas a cassete do Michael Jackson, que elas levavam para a festa, entre outras. A Tita, a mais velha, pôs-se com esquisitices, que leitor do carro estragava a cassete e mais assim e mais assado...Já aborrecida com o assunto, pedi-lhe novamente. Por fim, muito relutantemente, lá ma entregou. Já a fumegar pelas narinas, abri a janela do carro e a maldita cassete voou em direcção à terra...
Ficou tudo calado...



Depois, com uma lanterna, ao lusco-fusco, as miúdas mais os amigos, foram com o pai procurá-la...e encontraram a dita!
Ficou a ser conhecido este episódio como O caso da Cassete Voadora... Riem-se e gozam o meu mau génio da altura....
Certo é que a Tita é hoje uma pessoa amiga de dar, de uma grande generosidade...
Terá tido este episódio alguma influência?

11 comentários:

paper life disse...

ahahah podes crer que tiveste.

bjs :)

Bitta disse...

Com esse mau génio é bom que estejas longe de mim... ah! Ah! ah!

Gostava de te ver zangada...

Mocho Falante disse...

Teve de certeza só pode...lololololololol

Adoro Dianes e com Lara Croft incluída nem te conto

beijocas

A.J.Faria disse...

Hum...que mau génio!!!
Se teve influência? talvez...quem sabe...
Um beijinho,

Anónimo disse...

Não conhecia esta tua faceta...

Bjnhs,
Quissico

Isabel-F. disse...

..de certeza que teve...

5 estrelas o teu relato...como aliás é habitual...
e...adorei...relembrar...as matrículas da nossa terra..
a matrícula do carro do meu pai...nunca me esqueci...era
MLA-92-82

Tem um bom fim de semana
bjs

Henrique Santos disse...

Influência? Claro que sim! Uma cassette voadora é um OVNI de se lhe tirar o chapéu... mas a lição voou para a memória e vai fazendo a sua parte...
Bjinhos Ricky

marsofig disse...

Ah, desta lembro-me bem! Um exemplo histórico das "trips" de mau génio de mamãe (da altura?!?)! Fora aquelas corridas sob ameaça de chinelo pelo corredor fora (que falhava os alvos, claro)... :) Pensando bem, divertias-te à brava, não???

Bjs,

Marta@Lux

Tat Wam Asi disse...

Não digas mal da Dyane! Foi o meu 1º carro e as aventuras que tive com ela mais nenhum me poderá dar!! eh eh.
bom fds.

Cristina disse...

deixei-te um recado no Farol ****

Girassol disse...

Meus queridos amigos:
Não estranhem a minha ausência nas visitas aos vossos blogues...
Ainda não tenho o problema da net em casa resolvida e vou ficar isolada do mundo...
Snifff...Snifff...
Para todos um excelente fim de semana, bom Carnaval. Divirtam-se!

Quanto à Dyane, foi um grande carro!!! Foi caro, isso foi...
Então quando se virava com ele, inclinava-se de tal modo que parecia estarmos em mar alto, encapelado!!! Tirava-se a capota e era uma frescura...saudades!
E quando não pegava de manhã? Rssrsss....

Beijokas para todos!
( incluindo a filhota...Essa história que contas....chinelo? Não me lembro...!!!!)