16 fevereiro, 2006

Espaço e Tempo


Quiet evening - Henderson Cisz


“Só há espaço quando se vê e só há tempo quando se pensa”

Pensamento à Solta - Agostinho da Silva

8 comentários:

Isabel-F. disse...

Uma bela imagem...a que associaste este lindo pensamento que tão bem se lhe adapta.


beijinhos

Jorge Moreira disse...

Maravilhosa imagem acompanhada de um excelente pensamento do Mestre!
Gostei de conhecer este teu espaço.
Beijinhos,

Bitta disse...

Linda composição!
Um beijinho girassol

Bazuca disse...

não pensando imobilizamos o tempo,
a dormir o espaço é infinito...
perspectivas diferentes de um momento!

a tua imagem, Sunflower, diz-nos que a beleza é intemporal

bjinhos

Girassol disse...

Isabel, também quero lembrar Agostinho da Silva, que nos deixou mensagens de amor fantásticas, de tão simples.

Jorge, obrigada pela tua visita! O Mestre é uma inspiração...

Bitta, a tua presença diária anima-me a continuar, minha amiga!

Bazuca, são as duas faces do espelho...Mas o tempo corre...e de que maneira!

Beijokas para todos

HatA/mãe disse...

Girassol
A imagem está linda.
Gostava de lhe contar, que jovenzinha estudava perto de Rato em isboa e no Jardim do Principe real sentava-me ás vezes num bamco a ouvi-lo...falava-me no gato com quem vivia.
È curioso nessa altura chamavam-lhe louco...hoje chamam-lhe filosofo e mestre.
Um abraço.

ferrus disse...

Ontem, por casualidade, vi na RTP Memória um programa onde esteve Agostinho da Silva :-) São de enorme dimensão o espaço e o tempo, desde que disfrutados na sua plénitude e sem as condicionantes que muitas vezes usamos. Ver com olhos de ver, disfrutar a existência num tempo limpo, com pensamentos sem barreira e tabús.


Beijinhos

Girassol disse...

Minha amiga, ter vivido esses momentos, escutando o Mestre, deve enchê-la de emoção...Imagino! Loucos são os que apenas vêem o que os seus olhos alcançam...Ele via com o coração, por isso era mais rico e sábio!

Também vi o programa, "Conversas Vadias", fiquei presa às suas palavras...Quando ele disse:
" Podemos vadiar dentro de nós..."
Interessante conceito, um infinito de viagens interiores para fazer...

Beijinhos para os dois