06 julho, 2007

Buuuuuuuufffffffffffos.....Uuuuuuuuuu!!!!!!


São causadores de mau estar dentro duma Organização, criando insegurança e instabilidade emocional nos colegas de trabalho.

São eles, os BUFOS!


Sentimos-lhe o cheiro, a presença invisível.
Como numa guerra implacável, surda, em que não se vê o agressor, mas conhecem-se os estragos.
Cheira aos tempos de antigamente.

Ontem pensei maduramente.
No ambiente de trabalho completamente alterado para pior, na desconfiança instalada entre colegas de trabalho, nas inúmeras perdas sofridas a nível emocional nos últimos tempos.
E decidi actuar.



BUFOS, acautelem-se!!!
A guerra começou.
Estou no vosso encalço….

9 comentários:

hfm disse...

é assim mesmo.

poetaeusou disse...

/
escondem passados,
assuntando os outros ...
/
xi
/

pb disse...

eles aos poucos estão a voltar...bjs e bom fim semana

Aprendiz de Viajante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aprendiz de Viajante disse...

minha querida girassol... estive quase 3 semanas sem net, daí a minha ausência. Vejo que continuas a mesma, bem humurada, crítica e muito criativa.

Só agora respondi ao desafio:) Tive de devolver o prémio de novo para ti... é que tu falas de Amor de uma maneira muito especial e à qual ninguém fica indiferente. O Amor que transpira pelas tuas palavras vem embrulhado em muita experiência de vida e isso... nem todos têm!!!

um bjo

Rodolfo N disse...

Ciertamente, humor y crítica, para ciertas actitudes.
Um beijo grande

emília couto disse...

girassol

vem...sua companhia é muito boa.
vem rever pedaços de meu lugar.

beijos

emília

C Valente disse...

è mesmo assim ,e se quisers mais visita-me, e vê " uma especie em desenvolvimento
Saudações

Guidinha Pinto disse...

A falta de emprego/trabalho faz aparecer de novo, uma onda de "bufos". Deixo-lhe Sérgio Godinho:
Tu precisas tanto de amor e de sossego/- Eu preciso dum emprego /
Se mo arranjares eu dou-te o que é preciso /- Por exemplo o Paraíso /
Ando ao Deus-dará, perdido nestas ruas /Vou ser mais sincero, sinto que ando às arrecuas /Preciso de galgar as escadas do sucesso /E por isso é que eu te peço /Arranja-me um emprego /Arranja-me um emprego, pode ser na tua empresa, concerteza /Que eu dava conta do recado e pra ti era um sossego /
Se meto os pés para dentro, a partir de agora /Eu meto-os para fora /Se dizia o que penso, eu posso estar atento /E pensar para dentro /Se queres que seja duro, muito bem eu serei duro /Se queres que seja doce, serei doce, ai isso juro /Eu quero é ser o tal /E como o tal reconhecido /Assim, digo-te ao ouvido /Arranja-me um emprego /
Arranja-me um emprego, pode ser na tua empresa, concerteza /Que eu dava conta do recado e pra ti era um sossego /Sabendo que as minhas intenções são das mais sérias
Partamos para férias /Mas para ter férias é preciso ter emprego/
- Espera aí que eu já lá chego /Agora pensa numa casa com o mar ali ao pé /E nós os dois a brindarmos com rosé /Esqueço-me de tudo com um por-do-sol assim /- Chega aqui ao pé de mim /Arranja-me um emprego /Arranja-me um emprego, pode ser na tua empresa, concerteza /ue eu dava conta do recado e pra ti era um sossego /
Se eu mandasse neles, os teus trabalhadores /Seriam uns amores
Greves era só das seis e meia às sete /Em frente ao cacetete
Primeiro de Maio só de quinze em quinze anos /Feriado em Abril só no dia dos enganos /Reivindicações quanto baste mas non tropo /- Anda beber mais um copo /Arranja-me um emprego /Arranja-me um emprego, pode ser na tua empresa, concerteza
Que eu dava conta do recado e pra ti era um sossego".
Só falta a música ;) Beijo e bom Domingo.