16 abril, 2007

Não há coincidências...

Peasants - Pablo Picasso


Dois irmãos agricultores, vivendo numa casa modesta, para os lados da Murtosa.
Criavam vacas leiteiras, porcos, galináceos. Cultivavam a terra, dela tirando o sustento.
Vou chamar-lhes Maria e António, nomes bem portugueses, de sonoridades diferentes.

Um dia, deixaram-lhe lá em casa um menino com seis anos, para frequentar a escola, a instrução primária, cujos pais tinham emigrado para o Brasil.
Com todo o carinho e simplicidade lhe deram tecto, alimento e a ele se apegaram, mesmo quando já só o viam de visita.

Os anos passaram, envelheceram.
Há uns meses, a Maria adoeceu gravemente e partiu, deixando o António só.
Com alguns animais, já poucas terras para trabalhar, um gato preto de belos olhos amarelos como companhia.

A coragem faltava para rumar à Murtosa e entrar na casa com tantas recordações de infância, sem a Maria com seu sorriso largo,voz forte, coração aberto.
Finalmente, chegou o dia, 14 de Abril.

Parámos o carro defronte do grande portão de ferro.
Aberto o portão, ouviu-se de imediato o canito, preso, a ladrar dando sinal da nossa presença...Dois galos emplumados, vistosos, olharam-nos curiosos.
Avançámos pelo aido, chamando:
- Antóoooooonio!!!!! Antóooooooonio.....!
Nenhuma resposta...
Batemos à porta de casa e ouvimos o som da TV.

Fomos entrando e finalmente o António ouviu-nos.
Um sorriso enorme, olhos brilhantes, abraçou-nos.
Radiante, exclamou:
- Eu faço anos hoje!!!

Não sabíamos, somos bastante despistados nas datas...
Mas...
Interessante, não acham?

Saímos para comprar um bolo de aniversário e velas.
Coloquei as velas no bolo...72 anos!
Cantámos os parabéns, apagaram-se as velas, comeu-se o bolo, abriu-se uma garrafa de espumante.
Brindámos à saude dos presentes.
Pensei na Maria, que ela estaria a ver-nos, com certeza brindando connosco.
Feliz, estou certa.

Tínhamos reparado que tinha um pequeno aparelho de TV, ainda a preto e branco.
No dia seguinte, assaltámos o aido e deixámos à porta de casa um presente de anos.
Para o António iria ser um domingo diferente, com imagem de televisão a cores!


“Todas as tristezas podem ser suportáveis se se contar uma história sobre elas.”
Karen Blixen

19 comentários:

Teresa Durães disse...

:)

história bonita, houvessem muitas dessas.

(compreendo essa confusão, o ambiente,... estou exactamente igual. Basta ler o resto... o trabalho.... estou com um horror ao trabalho como nunca tive na vida)

dorme bem

Mocho Falante disse...

Sabes uma coisa? Tens o condão de emocionar de uma forma super intensa

beijocas

Mocho Falante disse...

ainda por cima um post com uma citação da fantástica Karen Blixen que tanto gosto devido ao fantastico livro que escreveu...Africa minha

beijocas

non disse...

Tu tens o condão de ainda escrever histórias com a respectiva Moral. Obrigada por isso, amiga.

Boa noite.

também estou no Rasgada a Página, de onde venho e às vezes no Jardim com poucas palavras. Bjs e aparece. Obrigada pela visita.

Maria disse...

Se todos fossem como tu, muita gente seria muito mais feliz...

Se houvesse muitos antónio e Marias tocados por ti, como o Mundo seria diferente...

Beijo grande, Girassol
(enquanto limpo uma lágrima...)

Maria disse...

Correcção: Antónios e Marias
(detesto erros)

Paulo Sempre disse...

Bem....gostei. Pronto!
Beijos

hata/mãe disse...

Olá girassol,

Gostei de ver-te, de ler-te,


já tinha saudades,

1001 beijinhos

Teresa Calcao disse...

Comoveu-me a historia....

Beijinho

pitanga disse...

Coincidências??? Quem falou nisso? Estamos aqui cheios de missões e não a passeio. Que bem que fizeram..a ele e a vocês.

beijos de pitanga

poetaeusou disse...

///
era uma vez um girassol
/
não
/
era uma vez um "grande" girassol
/
que bom seria, este "fadário" ...
/
jino
///

aDesenhar disse...

ainda há gente boa
na Tugalândia.
história de fazer girar girassois eternamente como tão bem sabes fazer.

bjs colega FP

Margri disse...

Bela história e excelente conclusão.
Afinal a felicidade nem é assim tão difícil. Basta abrir-lhe a porta.

Um abraço.

sonhadora disse...

No sonho me embriago com as suas palavras.
Beijinhos embrulhados em abraços

as velas ardem ate ao fim disse...

Pena ser só uma historia...

bjinhos

Bia disse...

Uma história comovente sem dúvida, nós fazemos o mundo e a vida, pena que não hajam pessoas assim por aí fora...
Vim ter aqui através do blog da maria, gostei do seu nome Girassol, despertou-me curiosidade e ainda bem.

bettips disse...

A confusão depois de tanto stress! Mas há "Antónios" para agasalhar com sorriso e eu sorri também, feliz como e com ele! Bjinho

Teresa Calcao disse...

Ana,
Vai ao meu blog tens la uma surpresa para ti!!!!!!
Beijinho

Era uma vez um Girassol disse...

Queridos amigos, agradeço as vossas palavras tão amáveis, aqueceram um coração que ultimamente tem sofrido grandes choques térmicos...
Beijinhos para todos