23 dezembro, 2005

Ser avó...

Ser avó é muito especial...Nunca pensei que tal doença me atacasse tão fortemente, ao ponto de ficar horas a olhar para a pequenita, completamente fascinada! É o meu amor pequenino, como lhe chamo com ternura, quando falo ao telemóvel...
Agora só posso imaginar como estaria com ela, como brincaria, os mimos que lhe faria...Sim, só posso imaginar, porque a minha neta Inês está a milhares de quilómetros de distância, mais própriamente na China. Tinha de ser assim, não é? Eu aceito, mas custa-me, ai se custa! Imagino o que seria o Natal com todos à volta, na minha sala finalmente decorada para o evento...Imagino o que lhe cantaria, as macacadas que faria, o colinho que daria! Imagino, porque não posso fazer mais nada...E nem sequer posso imaginar porque as lágrimas, teimosas, correm e deixam-me ainda mais feiosa....!!! Não, não quero chorar este Natal, com saudades dos que estão tão longe! Quero ser forte e pensar que para eles é bom estarem sozinhos, vivendo uma vida como querem, longe de interferências externas...Afinal eu não fiz o mesmo?????

Sem comentários: