08 dezembro, 2005

Gostava de dizer...



Foi difícil aceitar. De repente fiquei sozinha com as garotas, 7 e 9 anos, numa casa isolada, sem vizinhos. Ele tinha-se ausentado, cansado da rotina do trabalho, para especialização no Canadá. Seis longos meses, sem mais ninguém de família por perto, contando só comigo. Primeiro, foi a estupefacção, a surpresa, depois a dor. Assim surgiram as rimas, sem querer...
Gostava de dizer que sinto
a falta da presença
querida, tão amada

Gostava de dizer que sinto
vontade de beijar o rosto
querido, tão amado

Gostava de dizer que odeio
a solidão que me rodeia,
o perigo que me espreita
e me angustia

Noites sem fim,
sem hora, sem ruído
Noites longas
que passam devagar

Quisera adiantar o tempo
Quisera não chorar.


2 comentários:

Francisco disse...

Não resisti e espreitei.
Li um poema lindo, e senti que devia dizer-te tão somente o quanto me tocou.
Um beijo
Chico OM

Girassol disse...

Chico, és bem vindo!Para dar a tua opinião sobre montes de coisas...
Aparece sempre!
Bjinhos