27 janeiro, 2007

Olhar Macau I


Sem Título - Denis Murell, 1992
Museu de Arte de Macau



Não atrofies os sentidos;
Liberta-os, no esplendor
Das suas asas; deixa-os voar,
Para além dos gemidos,
Dos sussurros, dos gritos,
Do gozo ou da dor,
Da alegria ou da tristeza.

Só assim atingirão
O sobrenatural encanto
Da beleza,
Daquele efêmero instante,
Em que a mão encontra a mão
E o olhar, o olhar!

Libertar os sentidos – Flores do Bem
António Correia



António Correia nasceu na freguesia de Anreade, concelho de Resende, Portugal, em 1948. É licenciado em Direito e diplomado em Secretariado e em língua inglesa.Foi militar em Angola; bancário, sindicalista e advogado, em Lisboa; advogado, notário privado, gestor, conselheiro e deputado, em Macau (China), durante cerca de vinte anos. Actualmente, dedica-se à advocacia e administração de empresas em Lisboa, Portugal e no Ceará (Brasil). Em 2000 foi condecorado pelo Presidente da República Portuguesa com a Ordem do Mérito, no grau de Grande-Oficial.
Obras publicadas
POESIA:Conjugando o Verbo Amar, 1989;Folhas Dispersas, 1989;Deideia, 1992;Amagao, Meu Amor, 1992;Fragmentos, 1ª ed. 1994, 2ª ed. 1996;A Caravela, CD de poemas seleccionados, declamados pelo actor Jacinto Ramos, 1997;Serenidade, 2000;Oratus, 2002
POESIA E FICÇÃO:Abrindo o Caminho, poesia e contos, 1ª ed., 1976; 2ª ed.(ampliada), 1990;Miscelânea, mensagens para crianças,1987;
FICÇÃO:Ngola, contos, 1990;Contos de Ou-Mun, contos, 1996;Rua sem Nome, romance,1999.Contos Cearenses, contos, 2002.

10 comentários:

Filipe Freitas disse...

Pois é... Com este frio vamos apreciando aqui a Arte de Macau e os poemas de António Correia.
As melhoras e um bom Domingo.
(Com este frio até o girassol se constipou, no post anterior...)
Um Abraço.

elsa nyny disse...

Olá Girassol!!

Táas constipadita??? As melhoras!!

Adorei o poema, adorei o quadro!
Lindos momentos, por aqui neste jardim!!!


Beijinhos!!!

:)

Licínia Quitério disse...

Olá, Flor-Sol. Bonitas coisas nos mostras. Não conhecia o Poeta.
O frio aí está. Mas em breve o Sol brilhará. As tuas melhoras.

Grande beijinho.

Leticia Gabian disse...

Querida Flor Maior!
O Sem título é bárbaro. Adorei!
Mas o "Libertar dos sentidos" caiu, como uma luva, nesse meu exato momento de sentir.

Grande beijo

Luisa disse...

Não conhecia este poeta.Ainda bem que o publicaste para aumentar a minha cultura...
Sobre o comentário que deixaste no meu blog, já que temos que sofrer com o frio ao menos tivéssemos o prazer de ver neve aqui na região de Lisboa.

Isabel-F. disse...

linda tela ...

boa semana
bj

Maria disse...

flor grande

"libertar os sentidos"... sempre...

Deixo-te um beijo

poetaeusou disse...

Sentidos libertados.
Esplendor dos sentidos.
SÓ.
bj.

Teresa David disse...

Gostei do quadro e particularmente de ler as palavras de alguém com um percurso de vida riquissimo que não conhecia.
Bjs
TD

margarida disse...

Esta viagem faz parte dos meus sonhos. Quem sabe se um dia não se torna realidade.:):):)
bjcs.
PS - Dar uma espreitadela no meu blog.