03 janeiro, 2007

Ao menino e ao borracho...



Hoje foi um dia tremendo para todos aqui de casa. O ano começou um pouco conturbado, com situações de stress e preocupação.

Não me lembro de ter, quando as minhas filhas eram pequenas, situações de grande aflição, nem de doenças graves. Felizmente, tenho sido uma mãe abençoada.
Já como avó tenho apanhado uns bons sustos...
Dizem que as crianças são actualmente, de um modo geral, hiperactivas. Nunca li nada sobre isto, quais as razões que levam a que isto aconteça, mas concordo!
E de que maneira!!!

A minha pequenina neta, que faz 2 anos para o mês que vem é um turbilhão... Nem 50 olhos, nem 50 mãos chegam para segurar esta pequenita, tem energia para dar e vender!
São assim as crianças de alto risco...

Hoje, como de costume, fomos dar um passeio com ela, para arejar e entretê-la.
Existe um parque de merendas, campismo, mesmo ao pé de casa.
E lá fomos, ela divertida e nós também.
Depois de muito brincar num pequeno parque infantil, quando estávamos já quase para regressar, tropeçou no último degrau dum escorrega e rachou o lábio, com um lenho fundo.


Levada ao Centro de Saúde de Coloane, estava calma e a tagarelar com o pessoal clínico a limpar-lhe o lábio, dum extremo cuidado e ternura. Entretanto a empregada da recepção diz-me, em português, que ela tinha de ir ao hospital fazer uma cirurgia plástica por ter arrancado um bocado de carne do lábio...

Foi aí que me deu o treco...
Eu já estava em estado de choque, taquicardia, fraquinha das pernas, quando ouvi tal notícia pedi ajuda...Levaram-me para a maca, tiraram-me a tensão, oxigénio nas trombas...
Vejam o ridículo, a garota bem disposta, a avó a esvair-se...
Talvez porque, com a experiência da idade, adivinhasse o sofrimento que a minha pequenita iria passar.

E assim foi. Deixaram-me em casa para não “panicar” mais e seguiram para o hospital.
Foi cosida por um cirurgião plástico, na presença da mãe que só aguentou o processo até ao 3º ponto...Também se sentiu mal e depois de recuperar, voltou para junto dela!
O pai da criança fugiu...o avô perdeu o pio.

Resultado: ficámos todos esgotados, combalidos e a garota, depois de tudo isto, estava na maior! Chegou a casa, brincou, cantou, dançou, sempre bem disposta!
Mas eu...
Ah, que peso no peito!

12 comentários:

poetaeusou disse...

E hipnotizam os adultos, Girassol.
Ou "cegam a gente" como dizia a minha avó.
Aconteceu tambem com a minha Matilde. E sempre nos lábios.
A hiperactividade está generalizada.
A minha, não come, não bebe, não dorme, e é uma fonte inesgotável de Genica.
Penso que o problema está em nós.
e nessa "coisa" de sermos Mãe ou Pai, duas vezes, logo avós, Claro.
poetaeusou(digoeu)

Girassol disse...

Grande sabedoria, Poeta!
Mas que dói...Uffffffffff....
Quero agradecer-lhe, de modo especial, a companhia, a presença sempre agradável neste cantinho de girassóis. Um Girassol atento e solidário na minha tribo. Que bom!
Um Abraço

Desambientado disse...

Felizmente que tudo terminou bem.
Comigo, a preocupação aconteceu com duas cadelinhas na passagem de ano, sei que não é comparavel, mas fugiram durante o fogo de artifício para um terraço e cairam de 10 metros de altura. Felizmente cada uma só partiu uma perna. É talvez razão para dizer que ao menino, ao borracho e a cadelinhas, Deus põe a mão por baixo.

Votos de um excelente 2007.

Maria disse...

Amiga, é assim, com as crianças é assim.
Nós, mais velhos, quase cotas, é que ficamos à toa... à rasca.....
Felizmente que a tua pequena Inês tá na boa.
Vocês, os mais velhos, recompõem-se.
A mim o que me cahteia mesmo é ver as crianças sofrer. Ora a tua neta ficou bem... a pular e a dançar... abençoada inconsciência!
Fica bem, recompõe-te, um abraço - extensivo ao pescador.

amigona disse...

Eh!Eh! Desculpa amiga, mas fartei-me de rir!!!Nós somos mesmo assim e aquelas "coisinhas" ficam na maior! Beijo e as melhoras

Teresa Durães disse...

hum... a minha filha foi mordida três vezes por três cães diferentes...

... por culpa dela, claro...

nunca parou quieta...

sempre disse que o meu maior desejo era mantê-la viva até aos 18 anos (a sensação que é o limite da nossa responsabilidade, que não é)

e quando caiu e ia ficando sem os dois dentes da frente? (nem me perguntem qual o milagre que os fez passarem de cinzentos - raiz a morrer - a brancos)

das vezes que caiu dos balouços - desisti de contar

descobriu que de bicicleta se podia cair e bater com a cabeça no banco do jardim (ah!! santo capacete!!!)

sabes uma coisa girassol? ela sempre foi o desassossego. agora tem 9 anos e um rol de queixas na escola (tem desde sempre, cheguei a levá-la mesmo a um neurologista a conselho de uma psicóloga)

ela vai brincar e eu viro costas. caem tão rapidamente que não há tempo. deixei de tremeliques e esquisitices. que caia, que berre que chore. eles resistem

........

com o filho... ehehehehe.... 14 anos... sabes o que ele me diz?

- se te contasse as vezes que caio de bicicleta nunca estavas sossegada no trabalho

com esse fui ao Hospital D. Estefania com a cabeça a sangrar, muitas quedas de bicicleta e afins. as pernas dele eram uma nódoa negra pegada. um dia pensei que era sujo e na banheira esfreguei esfreguei até descobrir que eram as ditas nódoas. coitado do rapaz!

descontrai. eu era igual. já não te lembras!!!

Teresa Durães disse...

olha, vi ali o desambientado, as minhas cadelas também fugiram na noite do ano novo por causa dos foguetes :( encontámo-las na manhã seguinte, felizmente bem

Girassol disse...

Desambientado, não há dúvida que tiveram uma mãozinha...Foi milagre!

Maria, pois a miúda deve ter passado as passas...mas esqueceu!!!

Amigona, é verdade...Eu ainda estou meio taralhouca!Obrigada!

Teresa Durães, muito me contas...
Lembro-me sim, podes acreditar!!!
Não tinham nada a ver com esta pequenada de agora! Entretinham-se a brincar com os Legos, a fazer construções...dada a pequena diferença de idades, faziam muita companhia uma à outra. E eram as outras crianças que vinham brincar com elas, por ainda não terem irmãos.
Puxa, que dores de cabeça, hein????
Para ti e para eles!!!!

Beijinhos

Teresa Durães disse...

Girassol, não tinhas filhos, tinhas anjos.

Eu trepei árvores, rasguei calças, jogava futebol, andei de skate e bicicleta. O meu irmão brincava comigo (deve ser por isso que fazia isto tudo :))))

ele sempre rasgou as calças todas e estragou os sapatos. Um dia foi a perna eheheh

entre pulsos a doerem, nódoas negras por todo o lado e quedas de bicicleta, uma cicatriz na perna que eu recusei levar pontos!

hum... :)

Ana Patudos disse...

Querida amiga espero que agora tudo esteja bem para todos vós , mas principalmente a tua princezinha.
beijos
Ana Paula

pitanga disse...

Mas que vergonha! Os adultos a terem chiliques e a menina a dançar o tiro-liro com as mãos na cintura...hehehe.

Eles estão sempre a nos ensinar, querida Girassol.
beijos

Laurentina disse...

Minha querida amiga ...quanta á hiperactividade , creio e não devo estar muito enganada de que a tua netinha nada terá a ver com problemas de hiperactividade...terá sim como qualquer criança normal alegria de viver , rapioquiçe , traquiniçe e por aí fora . Agora quanto ao outro assunto depois querendo encaminho-te para um artigo que escrevi e está publicado numapagina de uma comunidade de Moçambicanos.
Deus te abençoe a ti e á tua piriquita .Bem hajas .
Quier dizer então estás bem no centro do ANO DO PORCO...eh eh eh eh
Beijão grande para ti