15 janeiro, 2007

Kota Kinabalu I

Fomos recebidos no Shangri-La Rasa Ria Resort, com tratamento personalizado, comodamente sentados em bonitos sofás, num enorme lounge, decorado à maneira malaia. Chá e uma toalhitas geladas para nos refrescarmos...
Ah, que bem que sabe ser assim tratada...
Trata-se dum resort isolado, a 50 km da cidade mais próxima, emoldurado pela floresta e mar, com uma enseada enorme, sem construções demasiadas, perfeitamente integrado na paisagem.
Este lugar pode não ser tão paradisíaco como alguns na Tailândia, já que se encontra no Mar do Sul da China e não no maravilhoso Mar de Andaman....
A água não é verde-turquesa, o tempo está pingão, faltam aquelas ilhas de calcário (limestone) espalhadas por aqui e ali, embora tenha outras, vulcânicas.
Mas tem, para mim, um encanto especial...
Para aqueles que conhecem África, digam-me lá o que parece isto....



Sim, lembra-me as praias de Moçambique: o mesmo mar, morno, agitado, as casuarinas ao longo da praia, o barulho dos pássaros, a vegetação envolvente....
Talvez os céus me quisessem dar este presente, já que ainda não voltei, com bastante mágoa, à terra que me viu crescer...

À noite não adormeci cedo, ao contrário da família!
Vinha música do salão–bar, mesmo ali ao lado...
Vesti-me e fui espreitar: uma banda com dois rapazes e duas raparigas, todos malaios, cantavam e dançavam. Boas vozes, repertório diverso, com recentes canções e “oldies” também.

Sentei-me a ouvir, bebendo um chá gelado.
Alguns casais australianos dançavam na pista...

O resort estava cheio deles! Pediam músicas, a banda tocava; e às tantas a vocalista dedicou uma dessas canções  a uns quantos que ali se encontravam e " to the lady who is always alone".... Fiquei comovida...!!!
Sim, porque todas as noites ali me sentava so
zinha, bebendo o meu chá gelado. Na última noite, o pé começou a dançar e depois o corpo pediu...
E lá fui, quase no fim!
Uma das cantoras desceu do palco e veio fazer-me companhia...Talvez para me sentir menos só!!!! Depois fizeram uma roda e assim acabei a noite, animadissima!
Imaginem, a família completamente ferrada no sono e ...
Onde já se viu um girassol a bailar na Malásia????

13 comentários:

poetaeusou disse...

Quem te viu.
E quem te vê.
Girassól, ao vento.
Ao Léu.
Bailando.
No longinquo Bornéu.
Qual Cisne.
Vinte pontos-
Para Você.
poetaeusou(pédechumbo)

Anónimo disse...

Que férias!! E nós a tiritar...

Pois tinha ouvido mau tempo para a Malásia, foi bom saber que estão de volta, felizes!

Beijinhos a todos, e domingo lá estarei, às 9 horas! Vale!!

Elsa

bettips disse...

Tenho que vir cá à noite, com silêncio e calma para me embevecer! Fica radiante com tanta "coisinha" linda que nos dás.'Té logo. Bjito

Bazuca disse...

Onde estás tu, Sunflower bailadora da Malásia?! já tenho saudades vossas e o china está falto de pelguntal pol ti!! estás pelto da tela dele!! rsrsrs...
bjinhos e... até quando? :)

Bazuca disse...

Onde estás tu, Sunflower bailadora da Malásia?! já tenho saudades vossas e o china está falto de pelguntal pol ti!! estás pelto da tela dele!! rsrsrs...
bjinhos e... até quando? :)

pitanga disse...

Oh, meu Deus Girassol, caíste na gandaia enquanto a família dormia!!!!!!!?????? És das minhas,pá.
Um brinde ao Girassol dançante!!
beijos

Maria disse...

Muito lindo, girassol, muito lindo!

Anónimo disse...

Condição necessária e suficiente, para Girassol bailar:
- a música do vento...seja na Malásia ou noutro sítio qualquer...Havia, bailou.
Baila muito, Girassol, baila.Bailar faz-te bem a ti e ajuda a aguentar, ao ler-te, os ventos que sopram do lado de cá.
Beijokas para todos,
Tina

mixtu disse...

e que baile sempre... na malásia e não só...

beijinhos

aprendiz de viajante disse...

És demais! Já me ri um bocado a imaginar a cena do girassol a dançar e a família a dormir.

Um bjinho

dulce disse...

Que bom q te divertes!! Vais sentir a falta de tudo isso qd voltares.
Beijos

Naeno disse...

Os Girassol, sempre são assim. Era uma vez. Todas as noites eles, como que fenececem. Porém no dia seguinte, com o nascer do sol eles reaparecem, lindos a espargir luz, e sementes pelos arredores.
Prá ti este poeminha.

REVEIOLLON

Menina foi quando eu te amava,
Que dos meus olhos piorei,
Cai que ninguém segurava,
Nem vi que o tempo escureceu.

Foi como se explodisse
A noite, em luzes, lá na praia
E lá do mar se visse
Um dia novo começando
Estrelas se aninhando
Debaixo de tua saia
Coro de passarinhos
Em volta de mim, silvando.

Um beijo

Naeno

Kalinka disse...

Também eu nascida e criada em Moçambique fico aqui deliciada a ler as tuas histórias da maravilhosa viagem que fizeste...
quem me dera!!!

Tenho muita vontade de visitar esses lugares por onde andaste... e, sempre a música presente e um pezinho de dança, és cá das minhas.

Beijinhos.