12 fevereiro, 2008

Como o fogo da lareira...


A lareira estava a apagar-se.
O pescador abriu a porta de vidro do recuperador de calor e colocou mais lenha.
Mas ao fechar a porta deu uma pancada forte no cotovelo esquerdo. Contorceu-se de dor, teve uma exclamação abafada, mas não gritou.
Apertou o cotovelo, rodou levemente o corpo, sempre abaixado, deitou-se aos meus pés. Como em câmara lenta.
O braço direito, por cima da cabeça, descaiu.
Ficou imóvel, de olhos fechados.

Gritei, gritei o seu nome, aflita!
Acordou de imediato, um pequeno desmaio, que me provocou um susto tremendo.
A noção de que poderemos algum dia ficar sós.
Um sem o outro.



Couple On The Beach - Henderson Cisz


A vida extinguir-se.

Como o fogo na lareira.

7 comentários:

Maria disse...

Querida Flor Grande

Não sofras por antecipação....
Eu digo-te que é horrível, mas faz parte da vida. E aguenta-se. Ahhh, como eu sei....

Beijinhos

Teresa Durães disse...

credo! que história...

Pitanga disse...

Não te assustes. Ainda hão de pôr muita lenha na fogueira. (só pra alegrar)
É normal acontecer quando damos uma forte pancada no cotovelo. Parece que corre um choque elétrico pelo corpo todo. Meu pai já passou por isso uma vez. E independe da idade.

Alegra teu coração e tira pensamentos ruins da cabeça.

beijo e carinho

Jardineira aprendiz disse...

O importante é que ainda falta muito para isso :)

Bjinhos

Anónimo disse...

Oi Ana e Fernando,
Ganda susto....como vai o cotovelo?
Têm sido emoções a mais, digo eu, e a carga excessiva de stress faz das suas quando menos se espera.

A ver se nos vemos neste FDS.Ia fazer-nos a todos bem, Teresinha incluída......
Sempre convosco por uma pipa de anos a haver
Chico

poetaeusou . . . disse...

*
mensagem standard
*
neste dia, recusa
o manto da solidão,
“ cobre-te de ti “
e sairás renovada(o)
,
in-poetaeusou
,
conchinhas
,
*

Isabel-F. disse...

ainda bem que foi só um susto ...


espero quejá esteja tudo completamente bem...


beijinhos