22 outubro, 2007

Por terras de África IX

Na véspera de vir para Portugal, o céu abriu-se, o sol raiou...
Fiz uma excursão de um dia à praia do Bilene, apenas com o motorista por companhia.
Como poderia, depois de tantos anos afastada, nem mergulhar nas águas do Índico?
Como disse atrás, impossível!

Às 7 e meia da manhã estava o Sr.Vilanculos à porta do prédio para me apanhar para a minha viagem até à praia, a cerca de 190 km do Maputo.
Mal saímos da cidade e da confusão de gente e carros, as diversas tonalidades de verde tomaram conta da paisagem.
Machambas, árvores tropicais, gado, algumas casas, palhotas.
Mato...!

A conversa foi rolando, fazendo a ponte entre o passado e o presente, resultado da idade do meu companheiro de viagem, 50 anos.
A estrada muito boa, foi ficando vazia à medida que nos afastávamos da cidade.
Manhiça, Palmeira, baixa de Xinavane, Macia.
E por fim, a praia do Bilene.
Eis as fotos.

Entrada da Manhiça

Cajú em saquinhos, pendurados em arbustos para venda!



A "falecida" Palmeira, na vila do mesmo nome


A nova palmeira!

Um belo friso de moçambicanas que posaram para a foto


Estrada da praia do Bilene

Sacos de carvão e lenha para venda à beira da estrada

Chegados à praia do Bilene, estacionámos dentro do Complexo Palmeiras, onde iria almoçar.

Escolhi o almoço para os dois e o motorista foi dar uma volta até à hora do almoço.
Desci para a praia, tirei os chinelos, enterrei os pés na areia branca.
A praia estava deserta.

Tirei a roupa, arrumei o saco junto a um dos chapéus da praia, dirigi-me para a água com o coração aos saltos.
Entrei, devagarinho.
Água morna, agradável.
Sozinha, fui a rainha do Bilene...






Dei umas braçadas, mantive-me quase uma hora na água.
Olhando, absorvendo toda aquela beleza.
Deixando ali, naquelas águas tépidas as minhas derradeiras mágoas, a minha saudade para sempre.
E ali fechei um capítulo da minha vida.

11 comentários:

Entre linhas... disse...

Fiquei a conhecer um pouco mais graças aos teus registos terras de África,obrigada por esta visita guiada.
Bjs Zita

Girassol disse...

Lendo os posts era quase como se estivessemos a acompanhar-te nesta viagem, a sentir os cheiros e sabores que tão bem descreves.
Essa praia é... LINDA... sem palavras.

Um beijo.

Maria disse...

A cor daquelas águas.... As cores.....
É também nas águas do mar que eu me lavo por dentro. Que eu fico em paz comigo. Que eu fico em paz com o Mundo...
Como te compreendo, Girassol Maior....

Um abraço enorme

Teresa Calcao disse...

Querida Girassol,
Silenciosamente tenho sido tua companheira de viagem,e agora que o percurso chegou ao fim,espero que fiques em paz contigo propria,porque o passado fara sempre parte das tuas memorias!!!!!
Beijinho

poetaeusou . . . disse...

*
africa
dos grandes espaços,
extensos olhares,
terra imensidão,
,
como o meu mar
,
xi
*

O Profeta disse...

Venho deixar-te duas gotas de puro orvalho
recolhidas na lagoa, três folhas de mandrágora
e o feitiço da lua que aprisionei no meu querer…

Sei que lhes vais dar bom uso

Doce beijo


Mágica noite

Cristina disse...

Uma recordação para nunca mais esqueçer...

Já não me lembrava de quanto lindo as praias são em Moçambique...

Adorei as tuas reportagens fotográficas...

Beijinhus

paper-life disse...

ò mulher, deu-me cá uma saudade dessa água de tons de azul variados e águas limpas que tu nem imaginas"! Que continues a sber viajar. :)

Beijo muito amigo! :)

Isabel-F. disse...

... a praia do Bilene ...
tanto que eu gostava dela ...
obrigada por me ajudares a matar as saudades ...

as fotos são lindas ... estas e a do post anterior.

beijinhos

Margri disse...

Obrigada pelas tuas palavras de amiga. O meu "céu" já está mais desanuviado.

Vejo que tens andado por terras africanas, que certamente te fizeram recarregar energias.
Fiquei com uma pontinha de inveja, embora nunca lá tivesse estado.
Espero que tenhas feito a tua reserva de SOL, para os dias cinzentos que se aproximam.

Um grande beijinho!

bettips disse...

A saudade, ali estendida na praia. A bela coragem. Bj