08 novembro, 2006

Zanguei-me com a balança…


Stretch Kelley - Lowell Herrero


Já não me pesava há tempo. Digamos, há mesmo muito tempo….
Resolvi então, depois de uma acção de formação sobre alimentação e produtividade (…), tomar juízo, começar por me pesar e eliminar doces e gorduras do dia a dia!
Cometi um grave erro: pesar-me vestida, depois de comer, com sapatos e tudo!!!!

Antigamente, quando me punha em cima da balança, aliviava-lhe o peso com um mínimo de roupa e sem calçado. Felizmente a minha balança não fala, senão…
Poderia ouvir:
- Sai de cima, gorducha ( ternurenta…)
Ou
- Ai, que não posso respirar…( abafada…)
Ou ainda
- Vê se tens vergonha, estás um pote!..( sem peias…)

Pus-me em cima dela e o ponteiro rodou…60….70…
- O quê? Esta balança está doida!!!
Resolvi dispensá-la, meti-a no SME (Serviço de Mobilidade Especial) e desloquei-a para a casa de banho azul, do pescador…
Que se lixe, sempre é mais magro que eu, não lhe fará diferença um quilito a mais!

Na loja dos 300, de sou habitual freguesa, estava uma balança com ar de quem não me ia deixar ficar mal.
Moderna, cores vivas, a condizer com a minha casa de banho vermelha, talvez me trate melhor que a antiga…

Já a coloquei no lugar devido…
Amanhã de manhã, depois do banho, com jeitinho, numa perna só, de bracinhos no ar, sem respirar, vou tirar a limpo o meu peso…

Mas fica escrito:
Se ela não me mostrar os números certos voltará à procedência!!!!
Tenho dito.
Girassol


11 comentários:

Teresa David disse...

Como me é familiar este texto! Mas já descobri há algum tempo a solução para não ter estas angustias, peço-me pela roupa, ou seja, vejo se está mais justa ou não, e no espelho grande da casa de banho só me olho de frente, que de lado as coisas pioram sempre por causa das barrigas!
Se quiseres aceitar o conselho é a borla e dado de boa vontade.
E depois quem de nós gosta nem repara nas godurinhas a mais ou a menos!
Bjs
TD

Papoila disse...

Sabes girassol deixei de me ralar com a balança... agora dou mais importância à fita métrica... Beijo

Um outro olhar disse...

puseste-me com um sorriso de orelha a orelha com o teu teu texto
pois adorei o modo como foi escrito

quanto à balança faz muito tempo que não me peso, desde que eu me sinta bem comigo e como sou

:)

Mocho Falante disse...

ahahahahahahahahahaha

adoro a forma como trataste do assunto rsrsrsrsrs

olha apoio a tua decisão, se a balança se armar em espertinha...já sabe

lol

Beijocas

poetaeusou disse...

SEQUENCIA QUEBRADA.
Que viragem Radical.
D'onde brotou tanto Mal ?.
Qual leito de rio, sem Escolhos.
Do prazer de imaginar Olhos.
Nas telas que Modigliani, Deixou.
Degas que p'las opulencias Optou.
A Matisse, máximo Expoente.
Viu em cada Mulher a Serpente.
Botas ... Dignas de Dior !!!.
Digam - me quem foi o Pintor ...?.
Para a maldade, do Gato Obeso.
Serei eu ? 1,69 m e 85 Kg de Peso.
poetaeusou(opadroeirodospoetasmeabsolva)

dulce disse...

História de como uma simples balança se pode tornar numa inimiga! Espero q com esta, consigas uma bela amizade :-)
Beijos

Teresa Durães disse...

este mulherio está do pior!

o melhor é largar os fritos que só fazem mal e prevines o colosterol e não te peses. tenho dito. (se não o resto da semana vai ser post atrás de post... ai!!!! pesei-me!!!! o que fui fazer!!!!!!)

eheheheh

boa noite

o alquimista disse...

Boa amiga a questão não está na balança...

Doce beijo

Ana Patudos disse...

Faz como eu: nunca te peses.
Quem gosta de nós , gosta de qualquer maneira. O que importa é o conteúdo e não o embrulho, minha amiga!

jinho na alma

Ana Paula

pitanga disse...

Olha, faz assim. Pesa-te antes do café da manhã. E tiras os brincos,que têm uma enorme relevância. Pões uma fita adesiva onde queres que a balança pare. Se ela ultrapassar, é já...porta a fora!

beijos

Era uma vez um Girassol disse...

Obrigada, meus girassóis, por todos os conselhos dados!
A verdade é que ainda não experimentei a nova balança...
Queria primeiro que nos conhecêssemos melhor e depois...
Beijinhos