09 novembro, 2006

História duma vida...


Parecia esquecido, mas não foi...
Há 34 anos e uns dias, o pescador e a girassol resolveram juntar os trapinhos e casar.
Não que eu quisesse a segunda parte, bastava-me a primeira! Mas a verdade é que ainda não me sentia totalmente libertada de preconceitos, apesar de ser uma jovem da geração de 60.

Detenho-me a cogitar em todo este tempo, em que tanta coisa aconteceu.
Princípio de vida apertado, ida para Angola, Nova Lisboa, hoje Huambo, trabalhar.
Nasceu a primeira filha. Tropa, regresso a Portugal, Aveiro, com dois caixotes onde cabia tudo o que nos pertencia e mais uma filha na barriga...
Frio, desemprego, aperto, nascimento da segunda filha. Lisboa, Caparica, aperto.
Aveiro, aperto, quatro num quarto, espera de tempos melhores. Viseu, aperto, apenas um a trabalhar. Renda cara, comendo metade do rendimento. Rissóis, empadão, croquetes, aproveitamentos, móveis desenhados pela girassol, carpinteirados pelo pescador, então caçador.
Concurso, aulas liceu, 4 anos. Estabilidade, finalmente, algum dinheiro!

Agasalhos, frio, muito frio!
Calças de bombazina, botas!
Uma voz na turma, quando de costas, escrevia no quadro:
- Que rrrrico par de collants...!!!!( rábula dum anúncio com Camilo de Oliveira a uma determinada marca de collants)
Tordos, muitos tordos, peninhas voando pela cozinha. Algumas perdizes.
Caldo verde, tostas mistas e castanhas assadas, em casa duma querida amiga, inesquecíveis serões!!!!
Aveiro novamente, construção da casa na aldeia natal do pescador-caçador.
Trabalho precário, tarefa, sempre na contingência de ser chutada...
Passaram 9 anos, finalmente no quadro.
Criaram-se as filhas, liceu, universidade no Porto.
Empregaram-se em Aveiro, fugida para fora do país...
Sós, cabelos brancos, TV ligada, horas a fio. Adormecer no sofá, calmaria.
Descoberta dos blogues...
De tudo isto resta o amor, a cumplicidade, a certeza de se ter cumprido a missão..

Amor para sempre, se Deus quiser e os anjos ajudarem.
(imagem da net)

25 comentários:

pitanga disse...

Adoro histórias de amor que acabam bem! Felicidades para os dois. Juntos e separados. Calma que eu explico. Se cada um está feliz é porque o outro a fez feliz. E assim vão querer estar por muito mais anos.

beijos a um girassol e seu pescador

Girassol disse...

Pitanga, obrigada!
Construir...é a palavra de ordem!
Beijinhos

Belzebu disse...

Uma viagem linda, que parece ter valido a pena, minha amiga!

São normalmente os percursos sinuosos que nos proporcionam as melhores experiências.

Agora é só disfrutar a vida e tudo o que ela ainda tem para nos dar! Ainda estamos a meio da jornada!

Saudações infernais!

Secreta disse...

Olá , penso que é a primeira vez que passo por cá e tive a sorte de ver logo um post tão agradável.
Bonita história de amor e vida :)
Deixo um beijito.

poetaeusou disse...

Assim. SIM.
Já andava com receio, Muuuulheeeer.
Esta fase Lunar, é ?
Oh, melancolia do Delta de Aveiro.
Oh, Nostalgia de James Dean.
A Estória ? Felini !!!
Para o Casalinho:
Nunca vivi nada em vão.
Cada qual sabe o que tem.
Ninguem pertence a ninguem.
Seja inimigo ou irmão.
in: Sérgio Godinho.
Para a noiva:
Seus netos vao te perguntar em poucos anos.
Pelas Baleias que cruzavam oceanos.
Erasmo e Roberto,Obvio.
E fico sem saber, quem pintou aquelas lindas..........Botas...!!!
poetaeusou(esfomeadoihihihihih)

Girassol disse...

Belzebu, pois valeu...!!!
Nunca nada é certo, mas enquanto durar...é bom!!!

Secreta, obrigada pela visita, volta sempre! Geralmente este cantinho é alegre e convidativo.
Pelo menos, quero que assim seja!

Poeta, o pintor desconhecido exagerou, subiu muito a saia...Com o meu pudor ainda hesitei em colocar a foto...Mas o movimento era engraçado e lembrou-me a canção: "These boots are made for walking", julgo que era da Nancy Sinatra.

Beijinhos

meialua disse...

Uma história de amor feliz :)))
Beijos Mágicos*

bettips disse...

Belo de ler. Valeu a pena! O que só se sabe "depois", o "enquanto é duro...Mando beijinhos para os dois. Fiquem felizes!

Licínia Quitério disse...

E o Amor venceu, Girassol. Aproveitem-no bem, bem. Sem ele, tudo é tão sem graça.

Beijinhos. Parabéns aos dois.

António Rosa disse...

Girassol,

Que história de vida!!!

A minha também não anda longe, só que vindo do Índico. E, agora, só, e paz e sem mágoas.

Agradecido.

Um abraço

aprendiz de viajante disse...

É tão bonito ler-te!!! És mesmo um GIRASSOL!

Bjo

Betty Branco Martins disse...

Querida girassol

Linda a tua história - traduzida em amor e muita ternura.

Toda a Felicidade do mundo

(e muitas visitas aos blogs) :)))

Beijinhos com carinho

Girassol disse...

Meia Lua
Licínia
António Rosa
Elsa
Obrigada pelas palavras amigas e felicitações!
Parece que, mesmo com tantos tropeços e apertos, a coisa correu bem...
Beijinhos

Leticia Gabian disse...

Flor maior,
Não esperava outra história de vida senão essa como a que teve, tem e terá. Mesmo sem a saber, já assim intuia. Uma mulher como tu não poderia passar a vida sozinha e sem a boa companhia, a qual elegeu para viver ao lado.
Grande beijo pra ti e para o afortunado pescador.
E que os anjos digam amém.

Girassol disse...

Letícia, ouviu a Betânia?
Eu não conhecia esta versão, só a de Maria Creuza e Vinicius.
Obrigada, tudo de bom para você, que bem merece!
Beijinho

Um outro olhar disse...

e assim se constroi uma vida em conjunto e em união

...

um bonito texto e parabéns

:)

Maria disse...

E não é lindo, girassol?
É uma vida cheia, um ciclo quase completo, o importante agora é continuar sempre em busca da felicidade. Porque ela acontece cada dia. Nas mais pequenas coisas, no companheiro pescador/caçador, nos filhos, nos netos, na escrita, num tinto velho que se bebe, numa madeira que se põe na lareira, num livro sempre nosso amigo.
A tua vida valeu / vale a pena, amiga!
Tem uma boa noite

Girassol disse...

Um outro Olhar, talvez a forma de olhar para a vida e seus obstáculos seja diferente e me tenha ajudado a vencê-los...

Maria, verdade que valeu, quando analiso o passado.
E agora é como dizes e muito bem:
"Nas mais pequenas coisas..."
Mas prefiro um espumante doce ao vinho tinto...! Mau gosto, não é?

Beijinhos

Isabel-F. disse...

Nunca me deixo de eternecer com histórias como a tua ...
... a minha é muito parecida ...
com a diferença que só tenho uma filha ... e ainda não chegámos aos 34 anos ... somente aos 28 ...

Fico feliz por ti
Beijo grande

Girassol disse...

Bettips
Betty
Isabel
Obrigada, amigas!
Existem histórias parecidas sim, principalmente dos que vieram de longe e começaram tudo de novo.
Beijinhos

Bazuca disse...

Querida Girassol, parabens pelo vosso amor impossivel...
todos os amores são impossiveis, as paixões não!
bjs :)

Daniela Mann disse...

-----\\\\|//-------
------( @@)-------
---ooO--(_)--Ooo—
Bom fim-de-semana

Teresa Calcao disse...

O amor tudo vence........esta aqui a prova.
Beijinhos,

Luisa disse...

Mas que bonita história de amor! Casaram, tiveram muitos filhos e foram felizes para sempre! Táo raro hoje em dia...

greentea disse...

viagens sinuosas, curvas estreitas , percursos apertados

mas tanta coisa para partilhar ao longo de duas vidas que ficam ligadas para sempre, mesmo com muita tv ligada, muitos seroes silenciosos qd os filhos partem, muitos adormeceres no sofa, mas tanto ainda para fazer, com ou sem blog...

E tanta ternura, tanta cumplicidade em torno destas vidas

beijos para ti e para o teu pescador.
nao cheguei a ir a Aveiro na semana passada...