23 fevereiro, 2007

A Zeca Afonso...



O PRIMEIRO CANTO
(Dedicado a José Afonso)


O tambor a tocar sem parar, um lugar onde a gente se entrega,
o suor do teu corpo a lavar a terra.
O tambor a tocar sem parar, o batuque que o ar reverbera,
o suor do teu rosto a lavrar a terra.
Logo de manhãzinha, subindo a ladeira já,
já vai a caminho a Maria-Faia,
desenhando o peito moreno um raminho de hortelã,
na frescura dos passos a eterna paz do Poeta.
Azinheiras de ardente paixão soltam folhas, suaves,
na calma de teu fogo brilhando a escrever na alma.
Uma pena ilumina o vier de outras penas de esperança perdida,
o teu rosto sereno a cantar a vida.
Mil promessas de amor verdadeiro vão bordando o teu manto guerreiro,
hoje e sempre serás o primeiro canto!
Ai, o meu amor era um pastor, o meu amor,
ai, ninguém lhe conheceu a dor.
Ai, o meu amor era um pastor Lusitano,
ai, que mais ninguém lhe faça dano.
Ai, o meu amor era um pastro verdadeiro,
ai, o meu amor foi o primeiro.
Estas fontes da nossa utopia são sementes, são rostos sem véus,
o teu sonho profundo a espreitar dos céus!
Mil promessas de amor verdadeiro vão bordando o teu manto guerreiro,
hoje e sempre serás o primeiro canto...!


Dulce Pontes


Faz hoje 20 anos que uma estrela subiu ao céu.

E o céu ficou mais brilhante, mais harmonioso.

Mas também na Terra permanecerão os seus poemas, as suas baladas, a sua chamada de atenção, a sua contestação.

Ao que está mal.
Àquilo que precisa ser mudado.
Ao entendimento entre os homens.
À justiça, à fraternidade, à solidariedade.

Bem hajas!
Por toda a riqueza poética que nos legaste.
Pelas baladas que não nos cansamos de ouvir.
E principalmente...
Vejam bem
Que não há só gaivotas em terra
Quando um homem se põe a pensar...

9 comentários:

Maria disse...

Girassol

Acho que vou ficar aqui o resto da noite.
Pela tua homenagem ao Zeca (e hoje já vi tantas, felizmente).
E pela música que escolheste, exactamente a que eu cantava ao meu filho para ele adormecer...

Vou ficar, deixando-te já um beijo pelo texto e um abraço pela música...

rui disse...

Zeca, Sempre!

greentea disse...

não há muitas músicas para se pôr mas ele continuará sempre a cantar para nós

obrigada pelo post e pela música
um beijo

Cristina disse...

Bela homenagem
Um bom fim de semana para ti
:)
beijinhus

Teresa Calcao disse...

Merecida homenagem....GRANDE HOMEM,O ZECA......
Beijinho

Licínia Quitério disse...

Não. Não ficámos sem ele. Há Homens imortais.

Obrigada pelo post.

Um grande beijo.

poetaeusou disse...

Menina dos olhos tristes
»»»»»»»»»
Menina dos olhos tristes
o que tanto a faz chorar
o soldadinho não volta
do outro lado do mar
Vamos senhor pensativo
olhe o cachimbo a apagar
o soldadinho não volta
do outro lado do mar
Senhora de olhos cansados
porque a fatiga o tear
o soldadinho não volta
do outro lado do mar
Anda bem triste um amigo
uma carta o fez chorar
o soldadinho não volta
do outro lado do mar
A lua que é viajante
é que nos pode informar
o soldadinho já volta
está mesmo quase a chegar
Vem numa caixa de pinho
do outro lado do mar
desta vez o soldadinho
nunca mais se faz ao mar
ZECA
bjs)

Ana Patudos disse...

Querida amiga também me vim juntar a ti nesta homenagem .
Quando comecei a ouvir o Zeca a cantar, não me consegui conter e chorei.Que saudade e quantas coisas bonitas aconteceram enquanto vivo e mesmo agora que já não está fisicamente entre nós, continua no nosso coração.
Obrigada por nos trazeres a sua voz
beijo
Ana Paula

. R disse...

ZECA