11 fevereiro, 2007

Hoje...

Desenho de Modigliani

O comboio em que viajava ainda tinha carruagens com compartimentos. Solavancos e o barulho dos carris iam embalando os seus pensamentos.
Viajava sozinha. No compartimento mais duas pessoas, uma delas uma senhora de meia idade à sua frente.
Ia acabrunhada. Às tantas as lágrimas rolaram pelas faces, teimosas. Nervosa, limpou-as com a mão. Mas não pararam. Como gostaria de ter uma mãe, uma irmã perto de si...

A senhora veio sentar-se a seu lado e quase sem perguntar nada, adivinhou a sua aflição, a origem da sua tristeza e consolou-a ternamente. Como se duma mãe ou irmã se tratasse.
O resto da viagem foi feita em ambiente mais tranquilo. Duas mulheres, uma mais nova e outra bem mais madura, falando de problemas que só elas entendiam: problemas de mulheres...

Dois filhos seguidos, parto recente, descanso da pílula, alteração de datas, terceira gravidez, situação quase impossível de acontecer...
Desemprego dum, situação precária do outro, sem ajudas de ninguém.
Pesada decisão para ambos. Nada fácil de tomar.

Depois...

Noite, um prédio qualquer num bairro de Lisboa.
O marido acompanhou-a, num estado de grande nervosismo.
Entrou para uma sala de espera e foi conduzida a um quarto, marquesa, equipamento adequado, moderno.
Além da pessoa que a ia assistir, uma outra, mais nova, aprendia o ofício.
Colocada a máscara, sentiu-se mal. Então todo o processo foi realizado a sangue-frio, com sofrimento explícito, discretamente.
Palavras da aprendiz :
- Então? Quando estava a fazê-lo não gemia...
Foi imediatamente repreendida, até com bastante rispidez:
- Não torna a falar assim às minhas pacientes! Não quero cá nada disso!


Hoje ficou ilibada, passados trinta anos.
Já não é uma criminosa.

17 comentários:

elsa nyny disse...

Pois...

beijinhos pa ti!

:))

Caracolinha disse...

Lindo, Lindo, Lindo, Lindo querida amiga ... emocionante ... hoje abriu-se uma porta para deixar entrar a magnífica luz da despenalização de um acto que nunca é feito de animo leve ... :)

Beijoca encaracolada ... :)

Caracolinha disse...

Só mais uma coisinha querida amiga ... ADORO esta música !!!!

:)

bettips disse...

Minha querida: a tua lucidez e a tua ternura falaram alto. BEM HAJAS! Beijos

marsofig disse...

Muuuuuuuuitos beijinhos da filha de mala quase feita e muito contente, porque antes incrédula, pela vitória do "sim". Uma pequenina vitória contra a hipocrisia. Criminosos são aqueles que passam um atestado de incompetência a uma mulher que faz uma escolha difícil - porque ninguém é a favor do aborto. Resta saber se vão ser mesmo criadas as condições para que as 20 a 40 mil mulheres o fazem por ano o façam em segurança. Ficamos à espera, sr. Sócrates.

marsofig disse...

PS: faltou agradecer, pela vida fácil e confortável que sempre me deram, mesmo nos momentos mais "apertados". Obrigada pelas "ferramentas", a ver se as ponho a bom uso... :) mais bjs!

poetaeusou disse...

Explosão de sentimentos.
Acto similar.
3? anos.
Drama psicológico.
O tempo de decisão.
Estava ali, a poucos minutos.
Foi um não !!!
Mas foi apartir desse não.
Que fiquei ao lado do Sim...
3? anos.
Para todo o sempre.
Até ontem e até que enfim...
bj)

pitanga disse...

Como pode alguém achar que um aborto é coisa banal? Que uma mulher o faz como se nada fosse? Ontem não pude votar, mas assisti a vitória do SIM com grande alívio. As mulheres precisam de colo, não de prisão depois de um ato tão penoso.

beijos

Maria disse...

Finalmente!
Finalmente acabou o pesadelo!
********

Esta estória é linda. Passei por ela, com mais uma vírgula aqui e menos outra acolá.

Eu hoje estou cansada, mas muito feliz pela Mulheres do meu país!

Ana Patudos disse...

Venho juntar-me a ti nas palavras que escreveste e como é obvio comemorar o meu SIM, nem a chuva me demoveu. Agora vamos aguardar pelas modificações...
bjos
Ana Paula

Ana Patudos disse...

Amiga, já agora transmite á Maria que lhe mando um grande beijo depois desta vitória que alcançámos. Eu não consigo comentar no blog dela devido aos problemas que tenho tido em postar.Acho que tens razão quanto ao que está a acontecer no meu blog, estou a tentar encontrar uma solução.
bjo
AP

Teresa Durães disse...

vamos ver se acabou o pesadelo.

não se esqueçam do país onde vivemos :((

e em que condições tudo se fará

:(

a vergonha que foi o nº de gente que não votou. esquecem-se que a liberdade é conseguida e tem de ser mantida.

boa noite

wicky disse...

a história q contas é a de muitas mulheres que pela mesma razão tiveram de ir a essa casa em rua escura e ouvir comentários escabrosos...depois nem pai nem mãe para a consolar : o silencio, apenas o silencio!Em Sintra, para meu espanto houve 75% de SIM, talvez porque muitas mulheres passaram tb por situações parecidas e isso deixa marcas profundas, passados 30, 40anos.
Um abraço. E vamos à luta q há muito trabalho a fazer!

Laurentina disse...

Vergonha de país que tanto reclama de tudo e quando é chamado a pronunciar-se se fecha em copas...sempre a mesma pouca vergonha da vitória da "Abstenção"...
Do mal o menos que os verdadeiros "abortos " da natureza que nos desgovernam vão respeitar a vontade dos 2,2 milhoes que andaram á chuva para que mais nenhuma mulher seja presa por ter que decidir uma coisa tão dolorosa e tão PESSOAL.!!!
NINGUÉM TEM O DIREITO DE JULGAR NINGUÉM por situações que só cada um saberá .
E mesmo que alguém venha a utilizar a despenalização como meio anti concepcional , ainda bem , porque não vai morrer de certeza e pode vir a ter a oportunidade de ter uma consulta de ginecologia grátis bem como uma receita de pilulas gratis ...e mais não digo para não ser cruxificada , eh eh eh eh
Beijão grande para ti

greentea disse...

girassol

comoveu-me a tua história! Lembrei-me de uma tarde em que acompanhei uma amiga a um prédio desses na baixa de Lisboa. Ali não deixavam entrar os homens, só mulheres. O marido ficou à porta da rua , na Avenida...
Quando fiquei grávida passei durante nove meses na Consulta de Alto Risco do D. Estefania. Assisti a muita cena e convivi com muita gente. A minha gravidez correu muito bem mas nem todas as outras e nem todas as mulheres desejavam mais eese filho fosse pelas malformações, fosse pelas anomalias, fosse pela sua idade, pela sida, pelatoxicodependencia, por estarem presas ou simplesmente serem prostitutas e não saberem quem era o pai ...muitos médicos vão empatando o assunto com medo de perderem o negócio : querem partos , cesarianas, querem impingir situações que nem sempre são viáveis tal qual o caso da mulher do comboio...
Por tudo isso votaria SIM de novo à despenalização , votarei sempre SIM à renovação das mentalidades, à contracepção, à educação sexual dos jovens e adultos, pais e filhos, pela revogação de leis obsoletas.
Pela dignidade e repeito pelas mulheres, pelo nosso ventre que dá a vida, pelo nosso coração.

Um beijo para ti. O AMOR celebra-se todos os dias , não apenas amanhã dia 14 de fev.

avelana disse...

e quantas mulheres não seguiram percursos identicoa a essa que referes ?

Vem ler a história do aborto ao longo nos tempos...
Um abraço bem grande para ti

lena disse...

bela e linda menina do sol

vim ler-te hoje

li-te emocionada

doeu!

um abraço cheio de carinho, menina linda

beijinhos muitos

lena