26 fevereiro, 2007

Lisboa...


Há tanto tempo
que não te via de tão perto!
Gaivotas em terra
sem mau tempo no mar...
Céu azul, gente passeando,
uns chuviscos para refrescar...
Razão de peso,
tempo de encontro,
três décadas passadas,
irmãs separadas.
Alma aquietada,
paz fraterna desejada.
Tempo de risos,
de lembranças,
passado magoado,
agora olvidado.
Sabe bem
ficar em paz.

5 comentários:

bettips disse...

Quero saudar-te, coração grande, pelo que adivinho neste teu post. E o slide da tua pequenina está uma beleza querida!

poetaeusou disse...

GRANDE FLÔR
Foto/Prosa-Sublimes.
PARA TI
Eu tenho sempre Gaivotas
Do pensamento ao desejo
Que chegam em cada abraço,
Que partem em cada beijo,
Eu tenho sempre Gaivotas
Do pensamento ao desejo!
Eu trago sempre Gaivotas
Neste céu onde eu existo,
Gaivotas de dor profunda,
Dessa dor de que me visto,
Eu trago sempre Gaivotas
Neste céu onde eu existo!
Em mim há sempre Gaivotas
Em bandos, como pardais,
Gaivotas de Liberdade,
Morrem muitas, nascem mais;
Em mim há sempre Gaivotas,
Em bandos, como os pardais!
Que eu, tenho sempre Gaivotas
Do pensamento ao desejo,
Que partem em cada abraço,
Que chegam em cada beijo,
Que nascem no Coração,
Levantam voo da mente,
Gaivotas feitas futuro
E passado e presente,
Gaivotas de todo o Amor,
De sorriso, de partida,
Gaivotas feitas de morte,
De saudade e despedida;
Que ser Gaivota é ser forte,
É ser Livre para Amar,
É ser Livre de partir,
É ser Livre de chegar,
Livremente viajando
Nas vagas de cada olhar;
E, porque me perco no tempo
Por no tempo andar perdida,
Por isso é que há Gaivotas
Dentro de mim, por toda a VIDA!...
Maria Mamede
bj)
(poetaeusou-roubadordeespaços)

Cristina disse...

Saudades de Lisboa
:)
beijinhu

Maria disse...

És um coração Grande, Flor Grande!
Gostei de ver as gaivotas, mesmo aqui a quererem entrar-me dentro de casa.
E sempre, sempre desta cantiga do Zeca...

Um beijo

Teresa Calcao disse...

Ha festa no meu blog.....Estas convidada.......
Beijinho