19 abril, 2008

Pelo campo fora I


Depois de muito perguntar pela localidade e rua pretendidas, lá conseguimos chegar ao destino: uma aldeia onde parecia que todos os habitantes estavam ausentes….
Casas fechadas, ninguém na rua. Passaram alguns carros apenas.

Por fim, depois de muito bater à porta e ninguém atender, já convencidas que não conseguíamos “levar a carta a Garcia”, avistámos a descer a rua, de bicicleta, um homem de idade avançada. Surgiu como única esperança de resolver o nosso problema e pedimos-lhe ajuda.


- Bom dia, queríamos falar com o senhor fulano de tal que mora nesta casa…
Sabe onde podemos encontrá-lo?
- Esse senhor já não mora aí. Foi viver com a filha, para casa do regedor da freguesia.
- E como se chama o regedor?
- É o Manuel dos Pirolitos!
Desatámos a rir e ele, vendo a situação, riu-se também.
E explicou:
- É que ele era sócio de uma fábrica de gasosas (pirolitos) e ficou assim conhecido!!!!
Mais uma vez nos rimos…

Entretanto caiu uma bátega de água, abrigámo-nos na soleira da porta.
Despedimo-nos, depois de nos ter explicado onde ficava a casa do regedor, ou seja, presidente da junta de freguesia.

Um sorriso rasgado gravado na minha mente…
Um sentido de humor soando a brisa suave em tempo primaveril.
Ainda existem pessoas assim.
No campo.

12 comentários:

Vanda disse...

É verdade.

A simplicidade das pessoas do campo, de sorriso aberto!

Na cidade tudo se complica.

Deve ser da falta de bicicletas :)

Quanto a Leonardo...não sei de onde lhe chegaria a inspiração, mas que foi um homem Iluminado, sem duvida.

Precisamos destes Mestres na nossa época. Mas a sementeira, parece-me fraca...quem dera que eu me engane!

Um beijo grande, bom domingo,

Maria disse...

Felizmente.....
Gente simples e com vidas simples e... com qualidade....

Beijo, Flor Grande

bettips disse...

Democraticamente, dos pirolitos regedor eleito. A graça do povo, o interior das gentes!
Bjinho

pb disse...

Sim só no campo é que ainda se encontra gente assim, nas cidades já ninguem se conhece, anda tudo apressado ninguém se importa...um beijo

Jardineira aprendiz disse...

É impressão minha ou agora é muito mais divertido do que antes ;)

Bjinhos

lua prateada disse...

O campo, as flores selvagens que nesta época brotam pelos campos fazendo deles o mais lindo jardim do planeta...
foi assim...no sorriso do tempo
Envelhecido pelo vento!...
Mas com cara feliz por perdurar
Que passei deixando o verbo amar...
e uma linda semana.
Beijinho prateado com carinho
SOL

Mocho Falante disse...

É verdade mesmo! No campo as pessoas são mais francas mais puras

beijocas

poetaeusou . . . disse...

*
ainda a salvo,
dos intelectolóides.
,
conchinhas
,
*

Barqueira disse...

Hoje, na minha memória, é 25 de Abril.

Deixo-te um beijo Amigo. :)

A.J.Faria disse...

Olá, Girassol!
São cenas dessas que nos dão uma imagem do Portugal profundo e sincero que existe!
Bjs

Rodolfo N disse...

Que lindo es rescatar siempre una sonrisa simple...
Besos, amiga

Akinol disse...

See Please Here