29 junho, 2007

Van Gogh, como me compreendes…

Falam em motivação, credibilidade, inovação, como valores principais a ter em conta nesta reestruturação que sofremos a nível de serviços.
Tudo bem!
Sempre fui uma pessoa altamente motivada para o trabalho, tendo a preocupação de inovar, sempre que possível, como já aqui disse tanta vez…
Mas credibilidade…poupem-me!!!!!
A lei do chicote, da mordaça e da ameaça dão cabo de qualquer boa intenção que um pobre funcionário tenha em seguir esses princípios e fazer deles sua bandeira para o trabalho…

É tudo um segredo, um mistério!
Somos apanhados de chofre por ordens, tratados como garotos da escola, ameaçados de reguadas caso nos portemos mal…
E ainda sabemos, por portas travessas:
_...” se fulana fizer ondas, telefono ao director…..”
Talvez para a pôr na lista dos disponíveis?????

Tudo isto é muito triste, mostra de certa maneira que, ao partidarizarem as chefias sem olharem às suas qualidades de líderes como gestores de recursos HUMANOS, escolhem muitas vezes quem não serve e até vem estragar um bom ambiente de trabalho, conseguido após muitos anos de partilha, amizade e solidariedade.

Estou neste gabinete há 18 anos, desde que mudámos para o novo( agora idoso) edifício. Já houve ameaças de me quererem mudar e eu sempre lutei como dragão enfurecido, por sinceramente achar não ter nenhuma vantagem para ninguém este pequeno espaço…a não ser por pirraça de chatear!
É um gabinete com duas janelas, airoso, bem decorado, com cadeiras vermelhas, mobiliário bege e castanho. Mesa redonda, armário, muito simples.
Tenho sempre a preocupação de o ter arrumado para quem aqui entrar ter uma sensação agradável, de bem-estar.

Hoje soube, por portas travessas, que me vão mudar…
Já estava a ver grandes mudanças à volta, mas nunca pensei que teriam a desfaçatez…
Mais uma…

Em Portugal adora-se destruir para começar de novo…
Uma reestruturação vai pôr tudo isto de pantanas!
Depois, quando mudam, levam o mobiliário atrás como caracóis com a sua casquinha!
Para mim, que participei activamente na arrumação desta casa, quer no aproveitamento de mobiliário usado, compra de mobiliário novo (pouco), decoração com quadros de fotografias antigas de Aveiro, plantas, etc, quando da sua inauguração, assistir às mudanças do mobiliário de um lado para o outro, ver misturar alhos com bogalhos, é de partir o coração!!!!!
Já começou…
Esvaziar um arquivo porque era preciso…
Passei um dia a escolher papelada para destruir, pó por mim abaixo, quatro caixotes para arquivo morto.
Morta sinto-me eu…
Sem capacidade de recuperação….

10 comentários:

Belzebu disse...

Em homenagem ao Van Gogh, dou-te uma sugestão...corta uma orelha a quem teve essa ideia! eheh!!

O velho hábito de mudar as coisas de sítio, para mostrar dinamismo, nunca resultou! Vivemos tempos difíceis, em que a precariedade, os constantes ataques à nossa liberdade de expressão e autoritarismos vários, torna as relações profissionais cada vez mais difíceis!

Estou certo que saberás dar a devida resposta a esses iluminados!

Um abraço infernal, desde as profundezas!

Papoila disse...

Querida Girassol:
Parece que os atropelos, as reestruturações, as mudanças e a cada vez menor liberdade de expressão se estenderam a todos os ministérios e a todos os profisionais.
A tua luz é bem mais forte que desses sacripantas(há quanto tempo não usava este termo!)
Beijos

Maria disse...

Querida Girassol

Infelizmente parece que agora, de uma forma completamente assumida, se promove a incompetência e os boys vão mesmo para os jobs.... ainda que não percebam nada....
Chegámos a um ponto onde eu nunca pensei podermos chegar, 33 anos depois de Abril.
Até a liberdade de expressão está ameaçada...

Continuo a ter confiança neste Povo. Continuo a confiar que saberá responder a todas estas diatribes, quando chegar a hora.

Para ti, a minha compreensão e solidariedade.

Beijinhos

aDesenhar disse...

eu vou mais longe, corta as duas orelhas a esses incompetentes!

é uma sensação desagradável, eu tenho até junho/08 para me preparar e passar pelo mesmo martírio.

com este governo renasceu a classe dos Bufos e os incompetentes (os boys/graxistas).

cara colega FP, esperemos que o ditado se confirme, "o último a rir é o que ri melhor"...

vá lá anima-te...
se mudares fá-lo de cabeça erguida.

abraço fraterno

Rodolfo N disse...

Taznta belleza en un cuadro y tanta tristeza en algunas realidades.
Um beijo, amiga

poetaeusou disse...

/
vieram profectas
vieram doutores
santos milagreiros
e tambem delatores ...
e poetas-pseudo-já agora .hehe
/
abç
/

Joaninha disse...

Como eu te compreendo!!Já passei pelo mesmo há algum tempo atrás quando acabaram com o departamento de Citricultuira.Engoli muita lágrima para não me verem chorar e levei com humor ,mas sabe Deus como estava triste!Foram tempos muito difíceis não muito diferentes dos que estamos vivendo agora. Tudo isto vem sendo preparado há muito,e não prevejo nada de bom ,nem para os SERVIÇOS nem para quem cá ficar a trabalhar, infelizmente!Toda a vida adorei o meu trabalho,e sempre fui feliz lá,mas conseguiram que eu ,hoje, só pense no dia em que me reformar ! Aí serei completamente FELIZ!E vou antes do tempo,porque já não aguento mais este estado de coisas! Não vejo a hora ,e penso nisso todos os minutos do meu dia!O que vale é que me colocaram nas Caldas e as termas,na verdade,são o sítio apropriado para me curar de vez!!Temos que levar isto na boa ,senão estamos doidos quando podermos ir embora, e esse gostinho eu não lhes vou dar!!TU QUE ÉS UMA MULHER DE FÉ LEVANTA ESSA CABEÇA,E NÃO TE DEIXES ABATER! Lembra-te que as árvores morrem de pé!!Beijos da velha amiga que contigo já partilhou muita coisa boa.

Margarida disse...

Olá Girassol
Estou contigo e nesse mesmo barco que nos muda DE LUGAR E QUASE DE CATEGORIA PROFISSIONAL, penso que é só para nos desestabilizar e criar mau ambiente no osso local de trabalho e na nossa vida...e depois nós de tão cansadas que estamos de sofrer com as injustiças, vamos embora...(é o que eles querem)...silenciarem-nos e porem-nos a mecher...
desculpa por não saber escrever com tanta claresa, mas estou profundamente contigo...
Beijinhos da guida

Teresa David disse...

Ao ler este texto só pensei em como fui feliz por no ano 2000 ter apanhado uma leva de reformas na Banca e ter vindo para a reforma. Perdi só 10% pois tinha entrado para o Banco com 17 anos e já tinha portanto 31 anos de serviço.
Senão tivesse feito tal certamente hoje estaria a escrever coisas, talvez, ainda mais revoltadas, pois já na altura em que me vim embora tinhas razões de sobra para me apetecer dali fugir.
Bjs e força
TD

Guidinha Pinto disse...

Quando a nossa casa não está arrumada e nos preocupamos em decorar as casas alheias, dá nisto. Tanto que há por fazer em Portugal. Tanto que foi conseguido e agora perdido. Somos um Povo que não se governa nem se deixa governar. Continuaremos nesta jangada de pedra, à espera de melhores dias e se calhar de outra Revolução. Mas os medos, esses voltaram. Abraço solidário.