17 maio, 2008

O pão nosso de cada dia…


….começa a faltar…..

Podem dizer que os tempos estão melhores, que há mais fartura, que não há fome….
Mas…

Vivo nesta aldeia há 27 anos e não me lembro de desaparecer o pão que a padeira costuma pendurar na grade do muro todos os dias, com excepção de domingos e feriados.
Há cerca de 15 dias a saca do pão começou a sumir…

Não, não fico zangada, antes pelo contrário, fico triste.
Porque é sinal dos tempos, que afinal estão cada vez piores para muitos portugueses.
À excepção dos políticos, claro!

Já fui assaltada duas vezes, por jovens menores de idade, que roubaram e voltaram para as suas casas sem lhes acontecer nada, mesmo depois de ser apanhados pelos vizinhos e entregues às autoridades.
Dessa vez fiquei danada….


Mas da primeira vez que tive apenas uma tentativa de roubo, estava sozinha com as duas crianças, na ausência do pai vários meses no estrangeiro.
Partiram o vidro da janela e da porta de trás, sem conseguir entrar em casa, talvez por se terem apercebido da proximidade de gente a trabalhar as terras.

Lembro-me ter pensado que decerto voltariam a tentar...
Então deixei-lhes um recado em verso, que rezava assim:

Aos 2 jovens que tentaram assaltar esta casa…

Porquê tanto desatino,
Que vieram procurar?
Aqui não há o que querem,
É melhor porem-se a andar…

Já me partiram os vidros,
Já deram um trabalhão,
Vá, meninos, juizinho,
Não sejam malandros, não!

A juventude pra mim
É coisa boa que passa…
Porque não aproveitar
Fazerem coisas com graça?

Nesta casa encontrareis
Coisas feitas com amor,
Livros, música, alegria…
Tudo afinal sem valor!

Esperança tenho nos jovens,
Homens amanhã serão!
Porque não começar já
Vida Nova, pois então?

Junho 86

13 comentários:

poetaeusou . . . disse...

*
grande-flôr
,
vai destoar,
mas . . .
não teria sido a ASAE ???
,
ou,
,
tirei do fundo do baú,
,
se roubares um pão,
és um ladrão,
,
se roubares um milhão,
és um barão,
,
se nada roubares,
és um camelo,
,
não há guita,
para alimentá-los na prisa . . .
é a lei da sobrevivência . . .
,
tolerantes conchinhas, deixo,
,
*

Maria disse...

Não sei onde vamos parar, Flor Grande.
Nem tenho palavras para te comentar...

Beijos

bettips disse...

Triste.
Tudo.
Bjs

hfm disse...

De viajante para viajante apenas para te dizer que pensarei muito em ti e na partilha que contigo tenho tido, lembro-me da tua reportagem do Dol de Bretagne que me fez lá ir no ano seguinte.

Só é imperdoável teres estado em Carcassonne e não teres ido a Albi. Deixa que no caminho há Castres e eu que já estive nas duas nunca fui a esta. Espero este ano recuperar a falha.

Um abraço.

Pitanga Doce disse...

...parece que eles não leram nada.

beijos

greentea disse...

roubar a saca do pão ????????????????

Tb já morei numa aldeia perto do mar onde a saca do pão ficava na porta , ia-se às compras ou ao café , a casa das primas e a chave lá estava , por vezes a porta ficava aberta e quantas vezes de noite deixei a chave do lado de fora... Um dia assaltaram o carro mesmo ali junto de casa para dep+ois me espalharem os documentos e relatórios numa estrada próxima...nunca soube quem foi nem nada lhes aconteceu mas eu não quiz lá continuar a viver...

beijinhos a ti, Girassol , que tb ando cheia de trabalho para acabar e quase não tenho visitado ninguém

L & E disse...

Começa a faltar sim...

abraço

Teresa Durães disse...

que horror!

Adoa disse...

Roubar pão é bem triste...

Saúde!

Rodolfo N disse...

Es triste y lamentable que los niños aprendan y necesiten robar.
Algun día cambiara...
Beijos

tulipa disse...

Olá Girassol

Será que já viste o filme de que falo no meu espaço?

Bom fim de semana prolongado(embora as previsões sejam de chuva).

Beijinhos.

tulipa disse...

Parabéns!!!

Adorei o recado que deixaste aos 2 jovens que te roubaram, em forma de poesia...quem teria a ideia de fazer algo semelhante?...és única.

Estou muito em baixo, com uma depressão e sofrendo pela solidão em que me encontro...não há palavras para explicar o que sinto, quando mais preciso é que todos me abandonam...não recebo telefonemas nem visitas, esqueceram-se que existo e sou um ser humano.

Um beijo sentido.

C Valente disse...

Bom fim de semana
Saudações amigas